Cruzeiro e Atlético completam neste domingo (8), às 16h, no Mineirão, a quarta final de Campeonato Mineiro entre eles na chamada Era das Novas Arenas, iniciada em 2013, quando cada um passou a mandar os seus jogos num estádio diferente. E uma curiosidade que pode animar o torcedor é que, nas últimas cinco temporadas, sempre que os dois rivais se encontraram na decisão do Estadual, pelo menos um deles trouxe uma grande taça para Minas Gerais.

Nessa disputa direta, o Atlético está em vantagem, pois levantou a taça duas vezes (2013 e 2017) contra uma do Cruzeiro (2014). Quando se trata da curiosidade dos grandes títulos, pode-se dizer que os cruzeirenses levam a melhor, pois nos três anos em que tiveram o maior rival pela frente, na final do Campeonato Mineiro, ganharam um título nacional.

2013

Logo no primeiro ano do Novo Mineirão, o estádio recebeu uma final entre Cruzeiro e Atlético no Campeonato Mineiro. Com a enorme vantagem de ter goleado na ida, no Independência, por 3 a 0, o Galo foi ao Gigante da Pampulha com mais tranquilidade.

Chegou a sofrer, pois a Raposa abriu 2 a 0 no primeiro tempo, com gols de pênaltis cobrados com perfeição pelo atacante Dagoberto. Na etapa final, quando o título parecia aberto, Egídio cometeu pênalti em Luan e Ronaldinho Gaúcho cobrou com maestria, marcando o gol que garantia o título e puxando o bonde alvinegro na Pampulha.

Naquele ano, o Atlético foi campeão da Copa Libertadores, vencendo o Olimpia, do Paraguai, em decisão disputada no Mineirão, e depois o Cruzeiro venceu o Campeonato Brasileiro, com o Gigante da Pampulha sendo seu maior aliado na campanha.

CONFIRA AS FICHAS DOS JOGOS FINAIS DE 2013

ATLÉTICO 3 X 0 CRUZEIRO

Data: 12 de maio de 2013

Local: Independência

Gols: Jô, aos 15 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos 26, e Marcos Rocha, aos 33 minutos do segundo tempo

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Cartão vermelho: Bruno Rodrigo (Cruzeiro)

Cartões amarelos: Gilberto Silva, Réver e Pierre (Atlético); Everton Ribeiro, Everton, Dagoberto, Ceará e Diego Souza (Cruzeiro)

Público: 19.442 pagantes

Renda: R$ 704.210,00

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Píerre (Josué), Leandro Donizete (Rosinei), Bernard (Luan) e Ronaldinho Gaúcho; Diego Tardelli e Jô. Técnico: Cuca

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Léo, Bruno Rodrigo e Everton (Egídio); Leandro Guerreiro, Nilton, Everton Ribeiro (Ricardo Goulart) e Diego Souza; Dagoberto (Paulão) e Borges. Técnico: Marcelo Oliveira

CRUZEIRO 2 X 1 ATLÉTICO

Data: 19 de maio de 2013

Local: Mineirão

Gols: Dagoberto, aos 18 e 33 minutos do primeiro tempo; Ronaldinho Gaúcho, aos 32 minutos do segundo tempo

Árbitro: Leandro Vuaden (RS)

Cartões amarelos: Borges, Leandro Guerreiro, Diego Souza e Nilton (Cruzeiro); Gilberto Silva, Ronaldinho e Leandro Donizete (Atlético)

Cartão vermelho: Luan (Atlético)

Público: 44.352 pagantes

Renda: R$ 1.840.710,00

Cruzeiro: Fábio; Ceará (Mayke), Paulão, Léo e Egídio; Leandro Guerreiro, Nilton, Everton Ribeiro e Diego Souza (Ricardo Goulart); Dagoberto e Borges (Anselmo Ramon). Técnico: Marcelo Oliveira

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Josué, Leandro Donizete e Ronaldinho; Bernard (Luan), Diego Tardelli (Leonardo Silva) e Jô (Alecsandro). Técnico: Cuca

2013Cobrando pênalti cometido por Egídio em Luan, Ronaldinho Gaúcho marcou o gol que deu tranquilidade ao Atlético na conquista da taça do Estadual de 2013, dentro do Gigante da Pampulha

2014

Um ano depois, Cruzeiro e Atlético voltaram a se enfrentar na decisão do Campeonato Mineiro, mas com a vantagem sendo cruzeirense. E ela valeu como nunca, pois a taça foi para a Toca da Raposa II após dois empates por 0 a 0, naquela que é a única final direta entre os dois rivais, em quase 80 anos e com 22 capítulos completados esse ano em que não se teve gol.

Naquele mesmo ano, o Atlético chegaria ao título da Recopa Sul-Americana e ganharia a Copa do Brasil, numa decisão direta com o próprio Cruzeiro, que chegaria ao bicampeonato brasileiro em sequência, algo que fora do chamado Eixo Rio-São Paulo, só o Internacional, de Falcão e companhia conseguiu, em 1975 e 1976.

CONFIRA AS FICHAS DOS JOGOS FINAIS DE 2014

ATLÉTICO 0 X 0 CRUZEIRO

Data: 6 de abril de 2014

Local: Independência

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Cartões amarelos: Leonardo Silva, Marcos Rocha e Victor (Atlético); Everton Ribeiro e Marcelo Moreno (Cruzeiro)

Público: 23.342 pagantes

Renda: R$ 697.225,00

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Otamendi e Alex Silva; Pierre, Leandro Donizete e Guilherme; Diego Tardelli, Jô e Marion (Carlos). Técnico: Paulo Autuori

Cruzeiro: Fábio; Ceará (Mayke), Bruno Rodrigo, Dedé e Samudio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart (Nilton); Júlio Baptista (Marcelo Moreno) e Willian. Técnico: Marcelo Oliveira

CRUZEIRO 0 X 0 ATLÉTICO

Data: 13 de abril de 2014

Local: Mineirão

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Cartões amarelos: Leandro Donizete, Michel, Pierre e Neto Berola (Atléico); Samudio, Dagoberto e Everton Ribeiro (Cruzeiro)

Público: 48.818 pagantes

Renda: R$ 2.322.068,00

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Dedé e Samudio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro (Tinga) e Ricardo Goulart (Willian); Dagoberto (Souza) e Júlio Baptista. Técnico: Marcelo Oliveira

Atlético-MG: Victor; Michel (Neto Berola), Leonardo Silva, Otamendi e Alex Silva; Pierre (Claudinei), Leandro Donizete, Guilherme (Fernandinho) e Ronaldinho Gaúcho; Diego Tardelli e Jô. Técnico: Paulo Autuori

2014

Apesar de os dois times contarem com atacantes de grande qualidade, como Diego Tardelli, do Atlético, e Dagoberto, do Cruzeiro, a final de 2014 ficou marcada como a única direta entre os dois rivais pelo título mineiro em que a rede não balançou

2017

No ano passado, pela primeira vez, a partida de volta da decisão foi disputada no Independência, pois o Atlético chegou à decisão com melhor campanha. E após arrancar um empate sem gols no Mineirão, soube fazer valer o mando de campo e garantiu a taça vencendo por 2 a 1.

Ao contrário dos anos de 2013 e 2014, chegar à final do Estadual na Era das Novas Arenas não significou grandes conquistas depois para os dois lados. A partir da decisão, o Atlético viveu tempos de turbulências e mudanças de treinadores, enquanto o Cruzeiro se fortaleceu e chegou ao título da Copa do Brasil.

CONFIRA AS FICHAS DOS JOGOS FINAIS DE 2017

CRUZEIRO 0 x 0 ATLÉTICO

Data: 30/ de abril de 2017

Local: Mineirão

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)

Cartões amarelos: Gabriel e Maicosuel (Atlético)

Público: 38.978 pagantes

Renda: R$ 1.620.951,00

Cruzeiro: Rafael; Mayke, Léo, Caicedo e Diogo Barbosa; Hudson, Henrique, Rafinha (Ábila) e Thiago Neves; De Arrascaeta (Elber) e Rafael Sóbis. Técnico: Mano Menezes

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Maicosuel (Adilson) e Marlone (Otero); Robinho (Cazares) e Fred. Técnico: Roger Machado

ATLÉTICO 2 X 1 CRUZEIRO

Data: 7 de maio de 2017

Local: Independência

Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)

Cartões vermelhos: Rafinha (Cruzeiro); Adilson (Atlético)

Cartões amarelos: Hudson, Henrique e Raniel (Cruzeiro); Rafael Carioca e Danilo (Atlético)

Gols: Robinho, aos 12 minutos do primeiro tempo; Ramón Abila, aos 7, e Elias, aos 22 minutos do segundo tempo

Atlético: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Rafael Carioca, Elias (Danilo) e Otero (Maicosuel); Robinho (Cazares) e Fred. Técnico: Roger Machado

Cruzeiro: Rafael; Mayke, Léo, Caicedo e Diogo Barbosa; Hudson (Ramón Abila), Henrique, Rafinha e Thiago Neves; Arrascaeta (Raniel) e Rafael Sobis (Alisson). Técnico: Mano Menezes