Apesar de admitir a superioridade da Mercedes no GP da Áustria, no domingo, o chefe de performance dos carros da Williams, Rob Smedley, acredita que "erros em pequenos detalhes" fizeram com que Felipe Massa terminasse na quarta posição após ter largado na pole position, em Spielberg.

Massa terminou atrás de Nico Rosberg e Lewis Hamilton, ambos da Mercedes, e do seu colega de equipe, o finlandês Valtteri Bottas. Mesmo sabendo que sua equipe dificilmente lutaria pela vitória, Smedley classificou como "uma grande decepção" o fato de Massa ter caído de primeiro para quarto. "Como eu disse para o time, não podemos estar felizes quando temos um carro na liderança e, depois de um pit stop, ele cai para quarto", afirmou, em entrevista ao site da Autosport.

Smedley afirmou, no entanto, que houve alguns atenuantes nos erros que causaram as perdas de posição de Massa. "A parada de Felipe foi mais lenta que a de Bottas, que fez o pit stop mais rápido da Williams em corridas e ganhou cerca de oito décimos de segundo. Além disso, Massa também teve dificuldades em aquecer os pneus depois da parada", revelou.

Apesar das dificuldades, o chefe de performance da Williams afirmou que a equipe não fez um trabalho "bom o suficiente". "Não podemos ficar satisfeitos. Minha mensagem a todos depois da corrida era que quando você corre no limite são os detalhes que contam, e quando você erra em uma série deles você cai de primeiro para quarto", analisou.

Mas, levando-se em conta a superioridade da Mercedes, o terceiro e o quarto lugares conquistados pela Williams refletiram o verdadeiro potencial dos carros da equipe, na opinião de Smedley. "A Mercedes era facilmente três décimos mais rápida que nós por volta, além de conservarem melhor os pneus do carro. Não há mágica, mas fomos o segundo carro mais rápido", disse.