O técnico Rogério Ceni ainda não completou dez jogos no comando do Cruzeiro, mas com a sequência de derrotas à frente da Raposa já ouviu pedidos para que deixe o clube. Após perder por 2 a 1 para o Flamengo, no Mineirão, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, alguns cruzeirenses gritaram: "Fora, Ceni! Fora, Ceni". 

Os gritos vieram de torcedores que costumeiramente assistem aos jogos atrás do banco de reservas da Raposa no Gigante da Pampulha. Essas "figurinhas" que já são conhecidas pela característica da "cornetagem" nos jogos do Cruzeiro, entretanto, ouviram do próprio diretor de futebol estrelado que Ceni não deixará o comando técnico da equipe. 

"O Rogério Ceni é nosso treinador. O escolhemos e ele vai com a gente. Temos a esperança de que ele vai reverter a situação do Cruzeiro", comentou Marcelo Djian após o revés celeste no Mineirão.

Desde que chegou ao Cruzeiro o técnico Rogério Ceni comandou o time em sete oportunidades, somando duas vitórias, um empate e quatro derrotas. O comandante falou sobre a importância do torcedor 

O Cruzeiro ocupa a 17ª posição na tabela do Campeonato Brasileiro com 18 pontos. É o primeiro clube da zona de rebaixamento. A Raposa torce contra a Chapecoense, que enfrenta o Internacional na manhã deste domingo, e, principalmente, contra o CSA, que se vencer o Ceará em casa ultrapassa a equipe azul na classificação. 

As próximas partidas do Cruzeiro no Brasileirão são contra Ceará, em Fortaleza, e o Goiás, em Goiânia.