O clima esquentou durante a reunião do Conselho Deliberativo do Atlético, nessa segunda-feira (29), na sede de Lourdes.
 
Durante o encontro, que avaliou, e posteriormente aprovou o balanço financeiro do clube no exercício de 2018, o presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara aproveitou para rebater acusações feitas recentemente pelo conselheiro Fabiano Ferreira, derrotado por Sette Câmara na eleição para a presidência, em 2017. 
 
O Hoje em Dia teve acesso ao um áudio que mostra um trecho do pronunciamento do mandatário durante a reunião, em que ele sobe o tom contra o conteúdo de um carta aberta divulgada pelo opositor na semana passada.
 
No texto em questão, Fabiano critica duramente a gestão de Sette Câmara, questiona os resultados em campo, a política de austeridade financeira e chega até a propor que o presidente abdique do cargo. 
 
“Fabiano, eu tenho por você muito respeito. Você foi meu adversário na eleição, e eu não me lembro de, em momento nenhum, ter te tratado mal, ou te desrespeitado. Você participou de um pleito comigo, e uma diferença gritante de votos me elegeu presidente. Não estou entendendo as suas manifestações (nas mídias) no sentido de que eu saia. Em primeiro lugar, porque que não tenho nenhum traço de improbidade por parte da minha pessoa ou de qualquer outro diretor. Então, eu não admito que o senhor peça a minha saída do clube”, afirmou Sette Câmara. 
 
Em seguida, sobre as críticas em relação ao desempenho em campo, cita que em 2018 o time teve a 4ª melhor campanha na história dos pontos corridos, inclusive induzindo que o empresário seria o responsável pelas faixas de protesto contra a diretoria que foram instaladas nem alguns pontos de Belo Horizonte nas últimas semanas. 
 
“Nesses outros anos (em que as campanhas no Brasileiro foram piores do que a de 2018) não houve essa quantidade de manifestação, faixas colocadas pela cidade afora, em uma tentativa covarde de denegrir o nome da minha família e o meu nome pessoal”. 
 
Patrocinio 
 
O presidente também rebateu a acusação de que teria desprezado uma proposta de patrocínio oferecida por Fabiano, que é dono da empresa Multimarcas Consórcios, que atualmente é parceiro de clubes como Cruzeiro, Flamengo e América. 
 
“Eu tenho aqui o documento que você encaminhou para o conselho. Estranhamente, o documento é datado no dia 5 de fevereiro, até o dia do meu aniversário, e foi protocolado no conselho no dia 6 de fevereiro, com uma oferta. Só que o Atlético já tinha, inclusive, anunciado o patrocínio com a Bamaq, sua concorrente, no dia 15 de janeiro. Então, o que o senhor tem afirmado que teria ofertado e o Atlético não teria aceitado, não foi isso que aconteceu. Se tivesse chegado antes (a proposta) eu teria analisado. Estou falando isso, para que, se no ano que vem, o senhor quiser fazer uma oferta, nós vamos analisar. Não tenho nada contra a sua pessoa ou a sua empresa”. 
 
Com a língua afiada, Sette Câmara aproveitou para alfinetar o opositor pelo fato de a empresa do mesmo patrocinar o maior rival. 
 
“Eu sou advogado há mais de 30 anos, e quando eu tenho que ir nos Fórum evito até de passar naquela calçada (em frente à sede do Cruzeiro) para você ver o tamanho da minha aversão, quanto mais ter uma empresa minha patrocinando o pessoal de lá”. 
 
Outro lado 
Quando o tema foi levantado, Fabiano Ferreira interrompeu o dirigente, citou a carta aberta, e reforçou que não foi ouvido pela diretoria atual, quando propôs uma parceria com o clube. 
 
“Eu fiz uma manifestação respeitosa, elogiando a sua pessoa, elogiando o senhor como profissional. Agora, eu fiz uma proposta para o meu clube, estou patrocinando diversos clubes do Brasil, querendo dar dinheiro para o Atlético, e eu não tive sequer uma resposta. O meu manifesto foi em cima disso. O senhor está dando a resposta só agora. O Atlético está passando por algumas dificuldades financeiras, eu estou querendo ajudar, o foco da minha publicidade na empresa vem sendo os clubes de futebol, porque tem me dado retorno. Eu fiz a proposta de patrocínio nos mesmos moldes que fiz pra Flamengo, Cruzeiro e outros clubes que estou patrocinando, e não fui merecedor de uma resposta, de um telefonema sequer. Por isso, o meu desabafo. Em momento nenhum fui desrespeitoso a sua pessoa.
 
Fato é, que mesmo em meio a troca de acusações, Fabiano Ferreira votou a favor da aprovação do balanço de 2018, que foi aprovado com apenas um voto contra.