A parada no calendário do futebol brasileiro por causa da disputa da Copa América em solo nacional é um alento, especialmente, para o Cruzeiro. Vivendo uma crise que parece não ter fim e acumulando nove jogos sem vitória, a Raposa terá um período sabático para tentar se reencontrar antes de jogos muito importantes.

E não apenas os que ainda restam no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, mas, também, na Copa Libertadores (contra o River nas oitavas de final) e contra o arquirrival Atlético nas quartas de final da Copa do Brasil.

A derrota por 2 a 1 para o Fortaleza, na noite desta quarta-feira (12), na Arena Castelão, colocou o Cruzeiro em situação muito complicada. O time “namora’ a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e fica obrigado a jogar melhor na retomada dos trabalhos.

“Difícil. Por mais que a gente corra, se doe ao máximo as coisas não estão dando certo como a gente imaginava. Agora a gente tem que colocar a cabeça no lugar para que a situação mude. Todo mundo é profissional, sabe o momento que está vivendo, mas vamos mudar esse momento mais rápido”, garantiu o atacante Pedro Rocha, titular no revés cruzeirense contra o Fortaleza, em entrevista à Rádio Itatiaia. 

O time estrelado ganha folga até a última semana de junho antes de retomar os treinos, no dia 24. Durante a intertemporada o técnico Mano Menezes comandará amistosos contra equipes que ainda serão definidas. A intenção é durante esse período manter o time com o máximo possível de ritmo de jogo.