Dos dez principais Estaduais que se encerram neste domingo (3), cinco deles não seguiram o roteiro esperado. Em Minas Gerais, Bahia, Paraná, Goiás e Pernambuco, os clássicos deram espaço para confronto entre times tradicionais e zebras. Em quatro deles, inclusive, o time de menor expressão chega ao jogo decisivo com boas chances de levantar a taça.

A exceção é Goiás, quando o time que tem o mesmo nome do Estado, representante goiano na Série A do Campeonato Brasileiro, recebe o Aparecidense com boa vantagem -pode perder por dois gols de diferença que leva o seu 25° título estadual.

Em Minas Gerais, o Atlético-MG, que passou pelo Cruzeiro na semifinal, tem a inusitada tarefa de decidir fora de casa e sem a vantagem depois de empatar no Mineirão com a Caldense sem gol. O time de Poços de Caldas mandará a partida em Varginha, já que seu estádio não tem a capacidade mínima de 10 mil espectadores para receber a finalíssima -se empatar, levanta a taça pela segunda vez em sua história. Sem sofrer gol há sete jogos -  equipe não é vazada há oito partidas -, o goleiro da Caldense, Rodrigo, se tornou um dos principais nomes do time no campeonato estadual.
 
Em Pernambuco, também houve empate sem gol no primeiro jogo, mas o Salgueiro, a zebra, terá que decidir o título na casa do favorito, o Santa Cruz. Não há vantagem; quem vencer leva o troféu e, em caso de empate, a decisão será nos pênaltis.

No Paraná e na Bahia, porém, os pequenos estão com boa vantagem. Na reformada Fonte Nova, o Bahia vai precisar vencer por três ou mais gols de diferença se quiser o título. O Vitória da Conquista, que fez 3 a 0 em sua casa no fim de semana passado, pode conquistar seu primeiro título estadual dentro da Fonte Nova.

No estádio Couto Pereira, sua casa, o Coritiba também precisa vencer o Operário de Ponta Grossa por três gols de diferença se quiser ficar com o campeonato paranaense.
 Uma vitória por dois gols leva a decisão aos pênaltis, já que o time do interior venceu a primeira partida por 2 a 0.

Tradição
 
Rio Grande do Sul, Ceará, Santa Catarina e Rio seguiram São Paulo e terão grandes clubes no jogo decisivo. Luiz Felipe Scolari tenta com o Grêmio o seu primeiro título depois de perder a Copa do Mundo de 2014 com o Brasil. No Beira-Rio, casa do Inter, um empate sem gol leva a decisão para os pênaltis. Empate com gols é do Grêmio. Quem vencer leva.  No Rio, o Vasco tem vantagem sobre o Botafogo, como o Fortaleza sobre o Ceará e o Joinville sobre o Criciúma.