Seguem quentes os bastidores da grave crise institucional, política e administrativa que o Cruzeiro atravessa.

Um dia após confirmar a convocação de uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo, marcada para o dia 21 de outubro, para votar o afastamento provisório da alta cúpula da diretoria da Raposa, o presidente do órgão, Zezé Perrella voltou a criticar a atual administração do clube estrelado.

Em entrevista à rádio Itatiaia, Perrella revelou o valor da dívida do Cruzeiro no momento em que ele deixou a presidência do clube, no final de 2011, se dizendo alarmado com a situação financeira do clube.

“Depois de 17 anos no comando, deixei R$ 117 milhões. A atual dívida do Cruzeiro está mais de R$ 400 milhões. Salários atrasados dos jogadores que, como sabemos, se perde o controle da diretoria, eles tiram o pé em campo”, afirmou Zezé.

O presidente do Conselho Deliberativo também afirmou que deixou ativos valiosos que ajudariam a sanear o caixa da Raposa, na gestão de Gilvan de Pinho, que presidiu o clube entre 2012 e 2017. 

“A dívida histórica do Cruzeiro, que eu deixei, foi de R$ 117 milhões, grande pare equacionada no Refis, em que pagávamos cerca de R$20 mil por mês. Mas com as vendas feitas na minha saída, como a do Montillo, poderia estarmos praticamente sem dívidas. Ficariam cerca de R$ 20 milhões por ser dos compromissos daquele exercício”.

Segundo levantamento da Sportsvallue, o valor da dívida do Cruzeiro, de acordo com o último balanço divulgado, em 2018, é de R$445 milhões.

O Hoje em Dia tentou contato com Wagner Pires de Sá e com Itair Machado para comentar as declarações de Zezé Perrella, mas não obteve retorno, até o momento.

Confira a evolução da dívida da Raposa nos últimos anos:

Vítima da crise política, mas ativo na financeira, Gilvan relata como dívida triplicou em sua gestão

Parceiros de sucesso na década passada, Perrella e Itair se enfrentam na crise do Cruzeiro

Dívidas Cruzeiro