Maior contratação do futebol brasileiro para a temporada 2021, o atacante Hulk, que deve fazer sua estreia pelo Atlético neste domingo (7), contra o Uberlândia, às 20h30, no Mineirão, pela terceira rodada do Módulo I do Campeonato Mineiro, em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, garantiu que a chance de brigar por grandes títulos, defendendo um clube do seu país, foi o ponto principal da sua escolha.

“Todo mundo sabe, conhece a grandeza do Clube Atlético Mineiro. O projeto ambicioso, uma equipe muito forte que montou e está montando para esta temporada 2021. Tenho a certeza de que a escolha foi muito bem tomada, pensei bem e tenho a certeza de que tudo correrá da melhor maneira possível. Vai ser uma parceria de sucesso. Tenho muita fé e confiança em todo o grupo, na família Clube Atlético Mineiro. A escolha foi certa. A gente vem com este pensamento, querendo construir uma grande história, como fiz no Japão, Portugal, Rússia, China, com títulos coletivos e individuais. Com certeza aqui não vai ser diferente. Conhecer e me identificar com o clube, com a torcida, com a cidade, cada vez mais e construir uma linda história com o Atlético”, afirmou o jogador.

Hulk meia-atacante AtléticoHulk deve fazer a sua estreia pelo Atlético no próximo domingo, contra o Uberlândia, no Mineirão, pela terceira rodada do Módulo I do Campeonato Mineiro

Uma coincidência ligada a título e que deixou Hulk feliz foi descobrir que seu aniversário é na data em que o Atlético ergueu a Libertadores de 2013, já que a partida contra o Olimpia, do Paraguai, no Gigante da Pampulha, começou em 24 de julho, mas a disputa de pênaltis só foi encerrada no dia 25.

“Fico feliz com esta notícia. Quando estiver fazendo aniversário a torcida do Galo vai estar comemorando e, sem dúvida, é um grande objetivo. Quer conquistar muitos títulos e a Libertadores é um grande objetivo”, comenta o atacante.

Prazer

Hulk saboreia a chance de viver o futebol brasileiro, o que praticamente não teve a chance de fazer, por ter se transferido do Vitória para o Kawasaki Frontale quando ainda tinha idade para jogar pelo sub-20.

“Posso falar que até o momento fiz minha carreira toda no exterior. Vinha ao Brasil para defender a Seleção. Para mim foi muito bom. Participei de competições em países diferentes, culturas diferentes, campeonatos diferentes. Poder retornar ao futebol brasileiro depois de 16 anos, volto com muita motivação, vontade de querer jogar, desfrutar do futebol brasileiro, das competições que nossos clubes disputam”, revela o atacante alvinegro.

Pandemia

Quando foi descoberto o novo coronavírus, Hulk defendia o Shanghai SIPG, da China, de onde saiu no final do ano passado. Com a pandemia, ele foi liberado e teve autorização de vir ao Brasil, visitar os filhos.

Desta forma, teve a chance de viver o início das contaminações pelo vírus nos dois países, e aponta as diferenças e até protocolos, beste caso ligados diretamente ao futebol: “Estive no início da pandemia na China e também no Brasil, pois tive folga e vim para o Brasil, para ver meus filhos. O choque foi igual nos dois países, situação muito delicada, um vírus que parou o mundo, com a gente sofrendo com isso há mais de um ano. Quanto aos protocolos para treinos e jogos, são culturas diferentes, países diferentes, organizações diferentes, em termos de federações, mas vejo que todos estão pensando no melhor. O que desejo de coração é que a gente possa passar por tudo isso, pois todo o mundo está sofrendo bastante. Cada dia que passa, são mais notícias negativas. Peço a Deus para que tudo volte ao normal. Vamos nos conscientizar, cada um fazer sua parte.

Hulk atacante Atlético

Revelado pelo Vitória, Hulk chega com a expectativa de fazer história usando a camisa 7 atleticana

Carregando a esperança da gente atleticana de que seja um dos símbolos de novos tempos de conquistas do clube, Hulk deve começar a viver sua trajetória com a camisa 7 atleticana neste domingo compartilhando o mesmo pensamento da Massa, pois o atacante deixa claro que voltou ao Brasil com o objetivo de seguir fazendo história e colocando seu nome na galeria de ídolos de mais um clube, no caso, o Atlético.