O técnico Cristóvão Borges tem quatro desfalques confirmados e uma dúvida para formar a equipe do Vasco que enfrenta o Figueirense, domingo (8), em Florianópolis. Por isso, ele não abre mão de escalar o meia Diego Souza, mesmo com o jogador em vias de acertar sua transferência para o futebol árabe.

Antes do treino de sexta (6), Diego conversou com o treinador e o diretor de futebol Daniel Freitas. Ele aparentava o bom humor habitual. À tarde, o meia se reuniu com o presidente Roberto Dinamite e dirigentes, mas evitou se aprofundar no que ficou acertado.
"A situação ainda não está resolvida. Só sei que preciso fazer muitos gols no domingo. Vou jogar", garantiu.

Borges acredita que o meia não estará com a cabeça em outro lugar e confia em uma boa apresentação de Diego Souza, que tem proposta de dois anos e R$ 12 milhões do Al Ahli, da Arábia Saudita. O Vasco vai receber R$ 4 milhões pela transferência.

"O Diego é profissional e sabe discernir as coisas. Ele vai jogar, até porque é seu desejo. Todos viram que o Diego treinou com disposição durante a semana e será assim durante a partida", atestou o técnico, que perdeu homens importantes na luta pela liderança do Brasileiro.

O zagueiro Rodolfo se recupera de cirurgia no joelho esquerdo e o atacante Eder Luis tem um edema na coxa direita. O zagueiro Renato Silva e o volante Fellipe Bastos não tiveram seus contratos regularizados e estão descartados. Além destes, o meia Felipe, com dores no joelho direito, vai ter sua situação definida no treino de sábado.