Noventa e nove jogos com a camisa do Atlético e um último chute na bola em dia de jogo oficial. Este pode ser um resumo bem simplório da história do volante Adilson, porém, neste domingo (21), foi assim que ele viu passar na cabeça todo o filme de sua passagem pelo alvinegro, encerrada por um problema no coração, que o obrigou a pendurar as chuteiras.

Convidado pelo clube para assumir o cargo de auxiliar-técnico, o "Alemão", como é chamado pelos companheiros, foi homeageado com uma placa e uma camisa autografada. Além disso, todos os integrantes da comissão técnica vestiram a camisa 21.

Emocionado, apenas agradeceu pelo carinho recebido e prometeu dedicação na nova função. Aos 32 anos, ele agora verá as partidas de ângulo diferente. Agora, apesar do período de experiência, ele sabe que precisará mostrar serviço, principalmente por conhecer a exigência da Massa.

"Tenho feito um trabalho de ligação dos jogadores com a comissão, ajudando dos dois lados, tendo essa corrente, com uma visão do atleta. É um momento de aprendizado para mim", relatou Adilson.

Dizeres da placa em homenagem ao ex-volante, dono da camisa 21 do Atlético:

"O futebol nos reserva emoções intensas e momentos marcantes. Entre alegrias e decepções, ficam o companheirismo, as conquistas, as amizades. Quando surge um obstáculo, há sempre alguém pra nos levantar, o carinho do torcedor, o grito da Massa. Foram 99 jogos de muita dedicação, amor à camisa e respeito às cores do clube. O centésimo é simbólico, afinal, o jogo continua e a vida não para. Receba a nossa homenagem e gratidão".