Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen sofreram para completar as 71 voltas do GP do Brasil de Fórmula 1, neste domingo (11), em Interlagos. Tudo por causa dos pneus, que interferiram bastante no desempenho dos carros da Ferrari. "Faltou aderência, escorregamos demais. Não tivemos uma boa corrida", lamentou o piloto alemão.

Vice-campeão da temporada, atrás apenas do inglês Lewis Hamilton, Vettel admitiu que não fez uma boa escolha do tipo de pneus. "Achei que os supermacios teriam um bom desempenho, mas eles não foram rápidos", disse

"Eu achei que eles (supermacios) fossem bem no início, mas hoje eles não foram rápidos o bastante. Ou melhor, acho que o supermacio não teve tanta dificuldade como se esperava", afirmou o tetracampeão, que largou em segundo, mas só terminou a prova na sexta colocação.

Raikkonen, que acabou o GP do Brasil em terceiro lugar, disse que a dificuldade estava em conseguir ganhar posições. "Foi uma corrida boa, mas não foi fácil. Os pneus estavam em bom estado, mas não nos davam condições de ultrapassagens. Como não dá para refazer a corrida, nunca saberemos se uma outra escolha seria melhor", disse o finlandês.

A Ferrari também teve de administrar a derrota no Mundial de Construtores para a Mercedes. Restando apenas uma corrida, em Abu Dabi, daqui a duas semanas, o time italiano soma 553 pontos, contra 620 da Mercedes. Raikkonen também garantiu a terceira posição do campeonato, com 251 pontos, contra 302 de Vettel.