O Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) divulgou na tarde desta quarta-feira (6), um rosto que seria da pessoa que morreu no confronto de torcidas entre Palmeiras e Corinthians, no domingo. A imagem é uma reconstrução facial feita por programas de computador.

Três dias após ter morrido na Praça do Forró, no centro de São Miguel Paulista, a vítima ainda não foi identificada. Nesta terça-feira (5), ninguém havia procurado por ele no IML de Arthur Alvim, bairro da zona leste da capital.

No dia anterior, duas famílias compareceram, mas não o reconheceram. A polícia também trabalha com a chance de identificação por meio das impressões digitais, mas os primeiros testes não foram conclusivos. A identificação pelas digitais está restrita ao cadastro estadual da polícia.

Polícia de SP divulga imagem de vítima da briga de torcidas organizadas

Vítima da briga de torcidas em São Paulo só estava com cartão telefônico e R$ 5

Vítima das brigas das torcidas ainda não foi identificada, diz IML

A vítima tinha em torno de 60 anos, 1,70m de altura, pele branca, cabelos grisalhos, calvície parcial e exibia um porte físico "forte". A descrição foi registrada no Boletim de Ocorrência e o caso foi registrado no 63º Distrito Policial, localizado na Vila Jacuí.

Antes do clássico de domingo, houve conflitos em três locais: em São Miguel, onde foi verificada esta morte, na estação Brás do Metrô e em Guarulhos. Após o clássico, na zona oeste de São Paulo, corintianos que estavam em um caminhão espancaram três palmeirenses.