A Polícia Militar atualizou na noite deste domingo (10) os números em relação aos confrontos registrados antes, durante e depois do clássico entre Cruzeiro e Atlético, no Mineirão.

Os números oficiais apontam que 53 pessoas foram presas por causa de brigas envolvendo torcidas organizadas e outras confusões dentro e fora do estádio.

De acordo com o tenente-coronel da Polícia Militar José Juliano Trunt, desde a manhã deste domingo foram contabilizadas prisões por causa da violência.

“39 presos ligados à torcidas organizadas, Máfia Azul e Pavilhão, vindos de João Monlevade tiveram encontro no Anel Rodoviário foram contidos e presos”, comentou o militar.

Além desses, outros 14 torcedores também foram presos, envolvidos em outros boletins de ocorrência.

Tenente-coronel da Polícia Militar José Juliano Trunt
O tenente-coronel da Polícia Militar, José Juliano Trunt comentou sobre as ocorrências registradas no clássico

Seis desses somam-se aos números por causa de uma briga na região Leste de Belo Horizonte. Outro confronto envolvendo organizadas.

“No estádio as confusões foram registradas envolvendo Máfia Azul e Pavilhão, e também à Torcida do Atlético. Basicamente integrantes da Galoucura que se envolveram em confusão e tentativa de invasão. Temos dois presos e estamos aguardando apurações para chegarmos ao número final”

A polícia não confirma oficialmente a informação de que um torcedor do Atlético foi atingido por uma bala de borracha no olho. Mas, ainda segundo o tenente-coronel Trant todo o trabalho dos militares foi condizente com a real necessidade do momento.

A PM confirma o uso de balas de borracha e gás de pimenta, justamente por considerar que essas eram as melhores alternativas para controlar os conflitos dentro e fora do estádio.

“Nós fizemos intervenções rápidas para evitar um mal maior. O que quero dizer com isso, pessoas que não tenham nada a ver com torcidas organizadas sejam feriadas. E até agora não temos registro de pessoas que não sejam de organizadas com ferimentos”, disse.

O tenente-coronel ainda revelou que dois torcedores do Atlético ligados à organizadas, que participaram do tumulto, estão recebendo atendimento médico, mas sob escolta de policiais para serem conduzidos à delegacia.

Somam-se aos detidos, mais seis cruzeirenses, também vinculados a organizadas, que foram detidos após um briga no portão C do Mineirão, ainda no início da partida.