A convocação do goleiro Ivan pelo técnico Tite, nesta sexta-feira, (16) fez a Ponte Preta voltar a ter um jogador na seleção brasileira após 17 anos. O último representante do clube de Campinas na equipe nacional havia sido o atacante Washington em 2002.

Ivan foi convocado nesta sexta-feira para os amistosos contra Colômbia e Peru. As partidas serão realizadas nos dias 6 e 10 de setembro, nos Estados Unidos. No momento da convocação, o goleiro estava no avião voltando de Florianópolis, onde a Ponte Preta venceu o Figueirense, na noite de quinta-feira, pela Série B.

Ele foi aplaudido pelos passageiros do voo e disse que não esperava pela convocação. "Não dá nem para acreditar. Esperava a convocação para a seleção olímpica, mas para defender a seleção principal? É uma sensação única, estou muito emocionado. Agradeço demais não só ao Tite e à CBF, mas a todos os que acreditaram em mim: Ponte Preta, minha família, meus amigos, a todos e a Deus", afirmou Ivan, que tem 22 anos, ao site oficial do clube.

O goleiro conquistou o Torneio Maurice Revello, o tradicional Torneio de Toulon, Toulon com a seleção olímpica em junho. Tite explicou por que convocou o jogador para a equipe principal. "Estou chamando o Ivan dentro da ótica dos amistosos de usar atletas mais jovens para se consolidarem, trazer bons atletas no sentido de formação e de crescimento".

Além de Ivan e Washington, a Ponte Preta já teve outro representante na seleção brasileira neste século: o volante Mineiro, em 2001, chamado pelo técnico Emerson Leão. Em 2003, Ricardo Gomes convocou Alexandre Negri para a Copa Ouro da Concacaf, mas aquela seleção era formada por jogadores sub-23.