Não foi preciso nem haver votação para saber que Castellar Modesto Guimarães Neto, advogado criminalista de 31 anos, será o novo presidente da Federação Mineira de Futebol. Ele assume a FMF após conseguir invalidar uma decisão judicial que impediria o pleito e ser eleito por aclamação, hoje, na sala do Tribunal de Justiça Desportiva, que funciona no prédio da entidade.

Castellar assinou a ata da eleição, mas irá esperar um tempo para assumir o posto de mandatário do futebol mineiro. O último presidente da FMF foi Paulo Schettino, afastado do cargo pelo Tribunal de Justiça por irregularidade no processo da sua última reeleição.

Durante a eleição, que começou com uma hora de atraso em relação ao horário original (12h30), cerca de 145 representantes dos times profissionais, ligas amadoras do estado e equipes amadoras da capital se manifestaram favoravelmente a Castellar Neto. Entre eles, estava Alexandre Kalil, presidente do Atlético.

"Primeiro porque ele tem currículo, não tem folha corrida. Homem que tem currículo. O prédio do Ministério Públicio tem o nome do avô dele. Além da pouca idade, do entusiasmo, é um homem de bem e um rapaz que tem tudo para dar um novo rumo para o futebol mineiro. Eu acho que estão todos de parabéns", disse Kalil.

Contudo, o presidente do Galo rasgou o verbo contra Paulo Cézar Freitas e Silvestre Ferreira, da chapa indeferida, que tentaram impugnar a eleição.

"Quem acha que é uma vitória do Atlético, está enganado. É uma vitória do bem, o bem contra o mal. Porque negício de cassar eleição de madrugada, isso acabou no futebol. Aquelas caçadas feitas de madrugada...o que acontece é o seguinte, rato só sai de madrugada. Se o malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto por malandragem, como diria meu pai", afirmou Kalil.

O mandatário alvinegro se referiu à ação judicial que Silvestre Ferreira moveu na 13ª câmara cível de Belo Horizonte durante a madrugada de quarta para quinta-feira, mas que foi cassada pela chapa de Castellar.