Os organizadores dos Jogos de Tóquio anunciaram nesta terça-feira, (7), a adoção de um sistema de reconhecimento facial, algo que será utilizado pela primeira vez na história da Olimpíada, em ação com o intuito de reforçar a segurança e torná-la eficiente nos diversos locais de competição.

A tecnologia será customizada para monitorar cada pessoa credenciada, incluindo atletas, dirigentes, funcionários e jornalistas, em mais de 40 locais de competições, na Vila Olímpica, centros de mídia e outras instalações do evento.

De acordo com as autoridades, Tóquio será a primeira cidade-sede a apresentar o tecnologia de reconhecimento facial em todos os locais olímpicos. Espera-se que o sistema efetivamente impeça a entrada de pessoas com credenciais falsificadas e reduza filas na entrada dos eventos.

"Ao introduzir o sistema de reconhecimento facial, esperamos alcançar altos níveis de segurança, eficiência e bom funcionamento em pontos de verificação de segurança antes da entrada", disse Tsuyoshi Iwashita, diretor executivo de segurança de Tóquio-2020, acrescentando que o sistema deverá contribuir para deixar o ambiente menos estressante para os atletas.

As imagens faciais de todas as pessoas credenciadas para a Olimpíada e a Paraolimpíada serão coletadas após o processo de aprovação e armazenados em um banco de dados a ser usado para verificar identidades em pontos específicos.

E Iwashita declarou que um teste no ano passado mostrou que as verificações com reconhecimento facial reduziram o tempo de checagem em comparação ao sistema convencional, com uso de raio-X e verificação visual de seguranças.