O confronto entre Flamengo e Internacional, pelas quartas de final da Copa Libertadores, colocará, mais uma vez, o clube carioca frente a frente com o centroavante Paolo Guerrero, que defendeu o time entre 2015 e 2018, depois se transferindo para a equipe gaúcha.

Ainda dando os seus primeiros passos com a camisa do Flamengo, Filipe Luís conhece bem Guerrero. Afinal, participou de diversos confrontos com o centroavante, nos duelos entre as seleções do Brasil e do Peru, pela Copa América e pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo. Preocupado com a qualidade do centroavante do Inter, o lateral apontou a necessidade de ter sempre dois jogadores atentos ao adversário.

"Ele é um jogador diferente, que faz a diferença no ataque. Tem muita força, segura bem a bola, chega na área e não fica nervoso, sabe escolher o último passe. Sem dúvida é um jogador mais perigoso, importante não deixar ele entrar em jogo. Quanto menos ele tocar na bola, melhor. Ter sempre vigilância em cima dele, estar perto para não d eixá-lo virar, ficar bem atento. Talvez gastar dois jogadores com ele vai ser importante para não ter chance de gol. Com o Peru, ele costuma ter chance e aproveitar", disse.

Filipe Luís fez elogios a Guerrero, mas também exaltou o setor ofensivo do Flamengo. Ele destacou que o elenco dá diversas opções para o técnico Jorge Jesus, inclusive para mexer na formação durante os confrontos, algo que ele considera fundamental na busca pelos títulos na sequência da temporada.

"Nós temos um ataque espetacular. Flamengo ganhou isso nos últimos anos. É só olhar para o ataque titular com Bruno Henrique, Arrascaeta e Gabigol, no segundo tempo entra o Everton, que é mais titular que todo mundo... No outro jogo entrou o Berrío. Quando tem gente desse nível no banco, é que você está formando grupo campeão. Mesmo que não coloque todos os titulares, tem muitos recursos no banco. Hoje Flamengo está com plantel completo", afirmou.

Nesta quarta-feira, quando o Flamengo vai receber o Inter, às 21h30, para o duelo de ida das quartas de final da Libertadores, o Maracanã estará lotado, pois os ingressos se esgotaram antecipadamente. Com a experiência de quem estava no futebol europeu, Filipe Luís garante encarar o cenário com naturalidade, mas ao mesmo tempo afirma que a torcida do seu novo clube é "diferente".

"Deveríamos tentar aqui no futebol brasileiro que estádios cheios não fossem motivo de surpresa. Na Europa são todos lotados. Mas a torcida do Flamengo é diferente. No jogo do Grêmio vi todo mundo em pé, todo mundo comemora, canta... O Atlético (de Madrid também tem uma torcida intensa, mas aqui é diferente, mexe com o jogador. Onde você vai vê milhares com camisa do Flamengo. A gente sente esse carinho, é motivo de orgulho ser jogador do Flamengo. E a gente sente essa responsabilidade a cada jogo. Importante é não deixar emoções te afetarem, que isso não mude sua forma de jogar. Sou profissional, sei o que tenho que fazer. Quando acaba o jogo, se ganhar comemoramos com torcida, senão ela tem direito de reclamar. Não deixo emoção influenciar", destacou.


Leia mais:
Diego Alves pega dois pênaltis e Flamengo goleia o Vasco por 4 a 1 em Brasília
'Novatos' na lista são chamados por momento e para ganharem experiência, diz Tite
Tite convoca seleção nesta sexta com novidades para os amistosos do próximo mês