O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou neste sábado (6) que não pode interferir no caso dos 12 corintianos que estão presos em Oruro. Os corintianos estão detidos desde 20 fevereiro, acusados da morte do estudante Kevin Beltrán Espada, 14, durante o jogo entre Corinthians e San José, pela Libertadores. 

"Lamento muito o que aconteceu em Oruro. Mas vocês têm que entender que há poderes independentes. [O caso] está no poder judiciário, e o executivo não tem certas atribuições", respondeu o presidente, quando questionado pela reportagem a respeito do caso.
 
Evo disse ainda que não falou com a presidente do Brasil, Dilma Roussef, sobre a situação. "É difícil de nos comunicarmos. A companheira Dilma é muito respeitosa pela independência dos nossos poderes." 
 
Evo Morales ganhou do presidente da CBF, José Maria Marin, uma camisa da seleção, número 3, assinada pelos jogadores. "Confio na solidariedade do povo boliviano", disse Marin.