cruzeiro, campestre 2, clube social

O Conselho Deliberativo do Cruzeiro acatou a solicitação do executivo do clube e convocou reunião extraordinária para discutir sobre a alienação da Campestre 2. A convocatória para os conselheiros foi disparada pelo presidente da Mesa Diretora Paulo César Pedrosa na tarde desta terça-feira (14). A reunião está prevista para acontecer no dia 3 de agosto, no Salão Nobre do Barro Preto. 

O intuito da reunião é discutir uma possível venda da Campestre 2 para usar o dinheiro em quitação de dívidas que o Cruzeiro tem na Fifa. O local é um anexo da Sede social Pampulha - conhecida como Campestre - e que há anos está subutilizada. 

Nos anos 1990 o local funcionava como um clube, tendo piscina e lanchonete, localizado justamente em frente à sede Campestre. Atualmente na Campestre 2 funciona um estacionamento. 

Autorização para alienação

Alienar um imóvel do Cruzeiro exige procedimento burocrático que começa, exatamente, com a análise do Conselho Deliberativo do Clube. O artigo 20 do Estatuto do clube aponta que para ser autorizada uma alienação em imóveis do Cruzeiro será preciso aprovação de 90% dos membros do Conselho Deliberativo. 

Essa prerrogativa está disposta no parágrafo V e cita que a proposta para tal deverá ser "altamente vantajosa". 

"Autorizar a alienação de bem imóvel do Cruzeiro Esporte Clube, excluídas as unidades que compõem o Parque Esportivo do Barro Preto, o Centro Administrativo, as Sedes Campestres, a Toca da Raposa I e a II, imóveis somente alienáveis em situação altamente vantajosa para o Cruzeiro Esporte Clube, mediante proposta aprovada por 9/10 (nove décimos) dos Conselheiros", diz.

Leia mais:
Presidente do Cruzeiro quer alienar sede social 'Campestre 2' para pagar dívidas na Fifa

Imóveis

O Cruzeiro possui seis imóveis registrados, mas com pendências de documentação. São eles: Toca da Raposa I, Toca da Raposa II, sede Administrativa, Parque Aquático do Barro Preto, sede Campestre (sede Pampulha) e Campestre 2 (hoje um estacionamento). 

Em entrevista recente no começo de 2020 o empresário Vittorio Medioli, que ocupou o cargo de CEO do Cruzeiro após renúncia do então presidente Wagner Pires de Sá, disse que todos os imóveis do clube estavam avaliados em R$ 800 milhões.

Medioli disse que a Campestre 1 e a Campestre 2, juntas, valeriam algo em torno de R$ 500 milhões, segundo documentos que ele mesmo havia encontrado na sede do clube. 

"A Toca da Raposa I, Timbiras e o Barro Preto são cerca de R$ 300 milhões. O resto tem variação de R$ 500 milhões. (Essa avaliação) foi encontrada por mim, lá dentro", disse ele em janeiro à TV Globo. 

Leia o edital de convocação do Conselho Deliberativo para a reunião sobre a Campestre 2 

O Presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro Esporte Clube, no uso de suas atribuições e na forma prevista no Estatuto Social do Clube, especialmente o disposto no art. 21, II, 'a', e art. 22, c/c com o arts. 30, III, e 20, IX, convoca os Senhores Conselheiros Beneméritos, Natos e associados conselheiros para reunião extraordinária, que ocorrerá no dia 03 de agosto de 2020 (segunda-feira), às 18h:30 horas, Salão Nobre Barro Preto, localizado à rua Guajajaras, nº 1722, Barro Preto, Belo Horizonte - MG, para tratar da seguinte pauta:

I - Autorização para alienação do imóvel do Cruzeiro Esporte Clube, localizado à Rua das Canárias, nº 269, bairro Santa Branca, com o fim específico de cumprir os compromissos financeiros junto à Fifa, em cumprimento ao artigo 20, inciso VI do Estatuto Social.
Publique-se o presidente edital nos termos do art. 22 do Estatuto Social.

Atenciosamente,
Paulo César Marcondes Pedrosa