O clima nos bastidores do Cruzeiro continua quente. Desta vez, o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Zezé Perrela, acusou a atual gestãode ter comprado votos de conselheiros nas eleições de 2017, vencida pelo presidente Wagner Pires de Sá.

Segundo Perrela, estas pessoas tiveram seus débitos com o clube pagos pela chapa do atual mandatário, logo antes da votação, o que, para o presidente do conselho do clube celeste, configuraria compra de votos.

“No ano das eleições, 51 conselheiros tiveram suas mensalidades pagas por esse grupo que venceu as eleições. Eu não posso afirmar que foram todos esses 51, mas essas mensalidades foram quitadas, de conselheiros que deviam dois, três anos, então, para mim, isso caracteriza compra de votos”, declarou o ex-mandatário da Raposa em entrevista à TV Alterosa.

Zezé Perrela disse ainda que essa ação por parte de pessoas ligadas à atual gestão do clube é comentada abertamente dentro do Cruzeiro e lembrou a pequena margem de diferença de votos que elegeu a chapa encabeçada por Wagner Pires de Sá.

“Rodou no conselho do Cruzeiro que esse tipo de ação, por intermédio do pessoal que ganhou as eleições, aconteceu. Várias pessoas deles mesmo falaram abertamente disso lá dentro. Eu não quero nominar quais conselheiros participaram disso, justamente porque não tem provas, mas ficou evidenciado e a eleição foi decidida por trinta e poucos votos”, finalizou.