Um dia inteiro de reuniões marcou a segunda-feira (16) na sede administrativa do Cruzeiro, e o assunto que dominou os encontros foi a possível renúncia do presidente Wagner Pires de Sá, que até admite deixar o clube, mas com uma condição.

Depois de inúmeras conversas o pronunciamento oficial com a possibilidade de saída de Pires de Sá foi confirmada pelo diretor de comunicação da Raposa, Valdir Barbosa, já que o mandatário não apareceu para dar satisfação a respeito do assunto.

“Conversei tudo com o presidente. Ele recebeu uma proposta do presidente do Conselho, Dalai Rocha, da possibilidade de uma renúncia, porque haveria três grandes empresários dispostos a assumir o Cruzeiro. O presidente está disposto a essa renúncia desde que os empresários sejam apresentados a ele. A partir daí será feito um documento dessa entrada no Cruzeiro. Ele simplesmente não vai entregar o cargo nem renunciar caso esses empresários não venham aqui e se coloquem como novos gestores do clube e tudo documentado”, disse Barbosa.

Perguntado sobre quem seriam os empresários que se colocam à disposição para assumir o comando do clube, Valdir Barbosa afirmou que nem o presidente Wagner Pires de Sá sabe quem são. 

"O presidente disse que procura o melhor caminho para o Cruzeiro. E que se há esses empresários, que eles venham conversar para que uma discussão possa ser realizada e, posteriormente ao acordo, eles assumam documentalmente o Cruzeiro (...) Não foi dito em nenhum momento quais são e nem o presidente estão sabendo quem são eles (os empresários)".

O Hoje em Dia confirmou uma informação da Rádio Itatiaia e do Superesportes. Os três empresários seriam Pedro Lourenço e Emílio Brandi, donos das redes supermercadistas Supermercados BH e Nova Safra, além do banqueiro Aquiles Diniz, um dos fundadores do Banco Intermedium, hoje Banco Inter. 

 

Cruzeiro

Pressionado e completamente sem moral perante os torcedores, Wagner Pires de Sá é uma figura que os cruzeirenses querem fora do clube. Essa demanda foi cobrada em um protesto realizado na última sexta-feira (13), e outro já está marcado para a noite desta terça (17).

Durante toda esta segunda-feira, a imprensa ficou esperando um pronunciamento oficial de Wagner Pires de Sá. Entretanto, no final da tarde, a informação que chegava era que o presidente não conversaria com os jornalistas, bem como José Dalai Rocha, que já havia dito que a prerrogativa de se passar algo à imprensa era mesmo de Pires de Sá.

A única coisa dita por Dalai Rocha foi que haveria "uma boa notícia para o Cruzeiro", durante o decorrer desta segunda. Coube à Valdir Barbosa dar as explicações detalhadas a respeito das reuniões.

Vices-presidentes diretos

Valdir Barbosa foi questionado sobre a possível saída dos vice-presidentes diretos, Hermínio Lemos e Ronaldo Granata. O diretor de comunicação disse que não poderia falar a respeito dos dois, mas a intenção do grupo gestor que topa assumir o clube é que toda a trinca que compõe a cúpula presidencial deixe o clube.

Ronaldo Granata e Hermínio Lemos ficaram incomunicáveis durante todo o dia. A reportagem do Hoje em Dia tentou diversos contatos com ambos, que não atenderam aos chamados.