Sérgio Santos Rodrigues presidente Cruzeiro

Tirar “o peso do ambiente” pela má fase do time na Série B do Campeonato Brasileiro tem sido estratégia da diretoria do Cruzeiro, agora, principalmente, por causa dos dois jogos da Raposa em casa, contra o Avaí e Ponte Preta. Tanto que os dirigentes celestes “costuraram uma trégua” com membros de torcidas organizadas em reunião no começo da semana, no Barro Preto.

Segundo apurou o Hoje em Dia, o presidente Sérgio Santos Rodrigues recebeu na última segunda-feira, na sede administrativa do Cruzeiro, integrantes do Conselho Azul, grupo composto por seis organizadas (China Azul, Cachazeiros, Torcida Jovem, Máfia Azul, Geral Celeste e TFC). No encontro com os líderes de torcidas houve um acordo para que nesta semana haja tranquilidade nos bastidores pelos jogos importantes no Mineirão. 

O acordo para que a semana antes dos jogos contra Avaí e Ponte Preta tivesse o máximo de tranquilidade possível foi confirmado na manhã desta terça-feira, quando todas as torcidas que integram o Conselho Azul não compareceram ao protesto na porta da Toca II.

HD recebeu informações que não estão descartados protestos convocados pelas próprias organizadas. Mas, tudo dependerá do desempenho do Cruzeiro nos compromissos contra catarinenses e paulistas. 

Sobre o encontro com as lideranças de torcidas organizadas, o Cruzeiro se posicionou mostrando sua opção pela "manutenção do diálogo", mas respeitando o direito de protesto do torcedor. 

"O Cruzeiro respeita os protestos dos torcedores, porém entende que o diálogo é sempre o melhor caminho para que Clube e torcida caminhem juntos. A gestão concorda que o resultado em campo, no momento, está aquém do esperado. Por outro lado, existe a confiança de que o time irá se recuperar na tabela e lutar pelo principal objetivo da temporada, que é o retorno para a Série A, reconhecendo que a torcida terá papel fundamental neste processo", diz o posicionamento oficial do clube nota enviada ao Hoje em Dia

Protesto na Toca II

A manifestação na manhã desta terça foi convocada pelo “Nascidos Palestra Forjados Cruzeiro 1921”, grupo que encabeçou todas as manifestações para a renúncia do ex-presidente Wagner Pires de Sá, no ano passado, e mantém ativismo nas redes sociais. Apenas a Pavilhão Independente - que não integra o Conselho Azul - mandou representantes ao protesto, que teve alvos direcionados além dos jogadores.

Em frente ao portão principal do centro de treinamento os torcedores iniciaram a manifestação com cobranças diretas ao presidente Sérgio Santos Rodrigues, ao diretor de futebol Ricardo Drubscky e ao diretor técnico Deivid.

Com palavras de ordem e pedido para que os jogadores “colocassem a cara” para uma conversa com a torcida, os presentes à manifestação cobravam reação imediata no Campeonato Brasileiro, já que o Cruzeiro é o 15º colocado e soma apenas oito pontos.

“Time pipoqueiro, tem que ter raça pra jogar no meu Cruzeiro (...) Raça! Raça! Raça!”, gritavam.

Os torcedores também citaram os programas transmitidos ao vivo pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues e usaram um tom crítico para falar das lives. “Time de mongol, live é o c*****, eu quero ver é futebol”, zombaram.

Outro cântico que já havia sido entoado também foi cantado, falando do pedido de dinheiro por parte do clube em mensagens oficiais aos torcedores. “Ôh, ôh, ôh, ôh, pede dinheiro, mas não escuta o torcedor”, reclamaram.

Encontro com torcedores

Esse é o segundo encontro do presidente do Cruzeiro com membros de torcida organizada em setembro. O primeiro, que foi divulgado oficialmente pelas organizadas, aconteceu no dia 5 na Toca da Raposa.

Na ocasião estiveram presentes o próprio Sérgio Santos Rodrigues, o diretor de futebol Ricardo Drubscky, o diretor técnico Deivid e o supervisor administrativo Benecy Queiroz.

Já pelo segundo encontro, o desta segunda-feira, não foram divulgados detalhes, nem foto e nem nota oficial. É que a manutenção da reunião no máximo sigilo possível foi uma tentativa das partes.