Durante o último episódio da série de lives promovidas pela TV Galo, exibida nesta sexta-feira (15), o presidente Sérgio Sette Câmara falou da satisfação de ver o sucesso do meia Bernard, atualmente no Everton, da Inglaterra. O mandatário do alvinegro, inclusive, revelou que chegou a ligar para André Figueiredo, ex-diretor da base, para dar uma nova chance ao atleta, que chegou a ser preterido no clube.

Em 2010 e 2011, Atlético e Democrata de Sete Lagoas firmaram parceria. Nela, o meia-atacante foi um dos emprestados pelo clube da capital. Franzino e baixinho, Bernard perdeu espaço na Cidade do Galo e quase viu a carreira ser colocada em xeque. Contudo, a versão de Câmara acabou sendo rebatida por Renato Paiva, presidente do Jacaré.

Leia mais:
Sette Câmara conta que pediu André Figueiredo para dar nova chance a Bernard no Galo

"Deu certo, sim, Sette Câmara. Pela persistência e talento do Bernard, da oportunidade dada pelo Democrata e da proximidade entre o Chico Maia, diretor do Democrata na época, e de Alexandre Kalil. Chico passava relatórios verbais do grande jogador que o Figueiredo não queria", comentou Paiva.

"À propósito, o "craque" que quase culminou com mais uma dispensa de Bernard era um tal Wendel, mais um Maradona da base do Galo, que esnobou o Democrata e abriu caminho para um talento de verdade. Eu vivi isso. Ninguém me contou. Falando nisso, cadê Wendel?", questiona o cartola. Naquela época, ele era diretor administrativo do alvirrubro de Sete Lagoas.

Citado por Renato, Wendel, de fato, não teve sucesso na carreira. Apesar das passagens pelas seleções de base, ele defendeu clubes como Boa Esporte, Madureira, Bangu, Cabofriense, Oeste e, por último, o Serranense, de Nova Serrana.

Na conta pessoal no Instagram, inclusive, o meia não registra a passagem pelo Atlético, clube que o revelou.