O novo técnico do Cruzeiro foi anunciado na tarde deste domingo. Rogério Ceni, ex-treinador do Fortaleza, terá a missão de recolocar o time nos trilhos, já que o retrospecto recente da equipe é negativo com apenas uma vitória em quase 20 jogos.

Mas como o Cruzeiro conseguiu contratar um treinador que em outras oportunidades  negou ofertas de outros clubes? Inclusive, Ceni rejeitou uma proposta do Atlético no mês de maio, quando o arquirrival celeste buscava um treinador para substituir Levir Culpi.

A reportagem do Hoje em Dia conversou com o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, que contou como foram os bastidores da saída de Rogério Ceni do Leão do Pici.

Longa conversa

"O Rogério (Ceni) me chamou na sexta à noite para conversar. Disse que tinha uma proposta, mas que estava em dúvida do que faria. Pela manhã nós conversamos bastante, ele havia comandando o treino à tarde, preparou o time, fez a atividade como fazia de costume. Mas na manhã do sábado falou para mim que sairia", explicou Paz, que deu mais detalhes do pedido de desligamento de Rogério Ceni.

"Ele nos agradeceu muito, mas disse que buscaria algo novo na vida dele. Teve uma proposta boa, pensando pelo lado do tempo de contrato, dos valores", comentou.

Contraproposta

De acordo com o presidente do Fortaleza, seu clube por diversas vezes recebeu de Rogério Ceni a resposta negativa em relação a outras propostas. Entretanto, com o assédio do Cruzeiro foi diferente.

"Na verdade eu nem tentei uma nova proposta para ele, porque para o Fortaleza a questão nunca foi dinheiro. Era projeto, que o Rogério mesmo havia abraçado. Inclusive, teve uma vez, dentre tantas propostas recebidas, que ele próprio disse que se eu aumentasse os valores salariais ele não ia querer receber, mas dessa vez ele optou por sair, pois era um projeto de um clube que dará a ele a possibilidade de disputar competições maiores do que podemos oferecer neste momento, uma estrutura física mais pronta que a nossa", disse.

Lamentação

Sobre o pedido de Rogério Ceni para deixar o Fortaleza, Paz afirma que entende, mas lamentou que o treinador tenha saído. "Eu entendo sim, mas lamento. Achei que ele cumpriria o contrato até o fim do ano", 

Multa contratual

A saída de Rogério Ceni do Fortaleza fará com que o clube cearense seja ressarcido pela perda de seu treinador. O blog do jornalista Marcel Rizzo, no portal Uol, informa que o valor da multa contratual pela rescisão do treinador está na casa de R$ 1 milhão.

O presidente do Fortaleza confirmou ao Hoje em Dia a existência da multa, mas disse que ela é inferior ao valor mencionado pelo Uol.

"Sim, há sim uma multa contratual. Por confidencialidade no documento eu não posso revelar o valor, mas te garanto que é menos que R$ 1 milhão. E quem vai pagar é o Cruzeiro", limitou-se a dizer.