A última partida de Gustavo Blanco pelo Atlético foi há exatos 764 dias, na vitória por 2 a 1 sobre o Ceará, em 13 de junho de 2018. Lutando, mais uma vez, para se livrar de lesão, o volante de 25 anos, há três anos, fazia sua estreia pelo clube alvinegro. Pelo mesmo placar, o Galo derrotava o xará goianiense, fora de casa.

Contudo, o que era uma grande expectativa, acabou se transformando em frustração. Ao todo, o baiano fez apenas 36 jogos e passou grande parte do tempo entregue ao Departamento Médico. O curioso é que, mesmo com tanto tempo fora de ação, ele não deixou de receber o carinho dos torcedores e de ser visto com status de titular.

O primeiro grande desafio aconteceu durante a parada para a Copa do Mundo da Rússia, quando sofreu a primeira lesão no joelho esquerdo (ligamentar), necessitando de cirurgia. E nem o longo tempo parado foi suficiente para que ele voltasse 100%. Na fase final da recuperação, em fevereiro do ano passado, Blanco voltou a sentir o mesmo problema e, novamente, foi para a mesa de cirurgia.

Leia mais:​
Preconceito na base e salvo por um jornalista: as histórias de Blanco, novo reforço do Atlético

Em 27 de maio deste ano, veio a mais recente pancada na vida do meio-campista. Um dia após conceder entrevista na Cidade do Galo, afirmando estar pronto para ser opção de Jorge Sampaoli, ele teve lesão no quadril, com ruptura do tendão do músculo reto femoral. Já em estágio final do tratamento, ele, mais uma vez, faz com que os sonhos sobressaiam aos duros desafios.