Único jogador criticado pela torcida no empate em 2 a 2 com a Inglaterra, domingo, no Maracanã, Hulk mostra não perder a serenidade com os protestos. O jogador culpa o fato de ter construído toda sua carreira fora do país por não receber o apoio dos torcedores e diz que a sua prioridade é agradar a Felipão para seguir no time.

"Ser elogiado pelo treinador é o que o jogador quer. Tenho tentado, dado meu melhor, e a prova disso é o elogio dele (Felipão)", respondeu Hulk, quando perguntado nesta quinta-feira (6), em entrevista coletiva, se mudaria seu estilo de jogo para ganhar o apoio dos brasileiros.

Na reabertura do Maracanã, a torcida não esperou sequer o primeiro tempo acabar para pedir a entrada de Lucas no lugar de Hulk. Felipão até atendeu os pedidos das arquibancadas, colocando em campo o jogador do PSG, mas no lugar de Oscar, mantendo o atacante no time.

"Eu tenho o reconhecimento de toda Europa. Tudo foi muito rápido na minha carreira, mas longe do Brasil. Infelizmente nem todos me conhecem como jogador, mas eu saio sempre de cabeça erguida, consciente de que faço meu trabalho da melhor forma possível. O importante é fazer o que o Felipão pede", argumentou o jogador.

A presença de Hulk na equipe - e não de Lucas, que tem futebol mais vistoso - é motivada pela aplicação tática do jogador, que ajuda a recompor a defesa. Mesmo sendo atacante, o jogador do Zenit (Rússia) entende e defende a prioridade que Felipão tem dado ao sistema defensivo.

"A gente sabe que a cada dia que passa o futebol fica mais difícil. Hoje ganha quem consegue defender melhor. Atacar é mais fácil. O Felipão está passando isso para a gente, aprender a defender. A preocupação maior é estar bem defensivamente para com a bola no pé fazer o nosso trabalho", opinou Hulk.

O jogador, que disse conhecer bem a Seleção japonesa, por ter atuado três anos e meio naquele país - "eles gostam de ficar muito com a bola, jogam muito rápido" - pensa primeiro na França, adversário do Brasil em partida amistosa do próximo domingo. "A gente quer ganhar da França para cada dia mais ter a torcida do nosso lado, nos apoiando. O que a gente quer é uma boa parceria com a torcida."