Os judocas brasileiros Rafaela Silva (57kg), Eric Takabatake (60kg) e Daniel Cargnin (66kg) perderam em disputas por medalha de bronze em suas categorias no World Masters, neste sábado (15), em Guangzhou, na China, e terminaram o torneio em quinto lugar. Phelipe Pelim (60kg) e Charles Chibana (66kg) caíram na primeira rodada eliminatória de suas divisões.

Atual campeã olímpica, a peso leve Rafaela venceu a alemã Theresa Stoll na primeira rodada, mas em seguida foi superada pela britânica Nekoda Smythe-Davis. A brasileira ganhou da chinesa Tongjuan Lu na primeira luta da repescagem, mas foi derrotada pela canadense Jessica Klimkait na disputa do bronze.

A trajetória de Takabatake foi a mesma, já que venceu o primeiro adversário, o britânico Ashley Mckenzie, e caiu na segunda rodada, superado pelo russo Robert Mshvidobadze. Na repescagem, o brasileiro ganhou do uzbeque Sharafuddin Lutfillaev, mas foi superado pelo mongol Amartuvshin Dashdavaa na disputa pelo bronze.

Cargnin chegou à semifinal da categoria dele, depois o israelense Tal Flicker e o mongol Altansukh Dovdon, mas perdeu duas seguidas na sequência. O israelense Baruch Shmailov foi o algoz do brasileiro na semifinal, enquanto o georgiano Vazha Margvelashvili ficou com a medalha de bronze.

O judoca russo Islam Yashuev eliminou Pelim e o mongol Kherlen Ganbold superou Chibana. Derrotados na primeira fase do torneio, os brasileiros não entraram na disputa pela medalha de bronze via repescagem. O segundo dia de competições do World Masters vai acontecer neste domingo, quando vão subir no tatame os lutadores Maria Portela (70kg), Eduardo Yudy (81kg), Maria Suelen Altheman (+78kg), Beatriz Souza (+78kg), David Moura (+100kg) e Rafael Silva (+100kg).

Depois do Mundial de judô disputado em Baku, no Azerbaijão, em setembro, o World Masters é o torneio que mais dá pontos aos lutadores em 2018. Por chegarem à disputa do bronze, Rafaela, Takabatake e Cargnin conquistaram 648 pontos no ranking mundial, que é um dos critérios para classificar judocas para a Olimpíada de Tóquio, em 2020.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Hoje termina mais um ano de competições, encerrei meu ano em 5º lugar no World Master competição que reúne os 16 melhor do ranking mundial! Resultado bem longe do planejado mas queria agradecer a Deus porque se hoje estou aqui na China com esse 5º lugar foi porque ele permitiu, no dia 1º de dezembro estava no período de treino no Japão onde peguei caxumba e fiquei dentro de um quarto 10 dias sozinha com meus medicamentos tentando me recuperar a tempo para competição, tive a escolhe de voltar ao Brasil e me tratar em casa mas teria que abrir mão da competição, decidi ficar e batalhar para lutar que é o que sempre faço! Então estou feliz por está aqui hoje encerrando 2018 sem lesões e cheia de disposição para voltar em 2019 com novas metas, novos objetivos o sonho é sempre o mesmo e só vou parar depois que alcançar, queria agradecer minha família que sempre está comigo, meus amigos, minha coach, meus técnicos, meus patrocinadores e aos que me criticam e não sabem 1% que eu passo! Obrigada de coração porque vocês só me deixam mais forte 🏆💪🏾🙏🏾 #fenix #voltareidascinzas

Uma publicação compartilhada por Rafaela Silva (@rafaelasilvaa) em