A semana de protestos, como prometeu o comando da maior torcida organizada do Cruzeiro, a Máfia Azul, segue firme. Na tarde desta terça-feira, dia da reapresentação dos jogadores após a goleada por 4 a 1 para o Grêmio, dezenas de torcedores compareceram à porta da Toca II para se manifestar contra o momento ruim do clube.

Por conta da movimentação dos membros da organizada, a Polícia Militar (PM) deslocou pelo menos oito viaturas para cuidar da segurança do entorno do CT estrelado.

A presença de torcedores fez com que alguns atletas alterassem a rotina e usassem um portão alternativo no fundo da Toca II para entrar no centro de treinamento.

Princípio de tumulto

Como o responsável pela TV Máfia Azul, canal de comunicação da torcida, foi barrado na entrada e não recebeu autorização para registrar o treino e coletivas, houve princípio de confusão.

a

Diversos seguranças terceirizados precisaram da ajuda da PM para conter os torcedores. Houve quem tentasse passar o bloqueio, mas esses foram contidos.

A proibição da entrada do repórter da TV Máfia Azul foi criticada por membros da torcida: “censura, nós temos que entrar. É um trabalho como faz a imprensa”, reclamou um dos manifestantes.