A crise institucional vivida pelo Cruzeiro deixa o torcedor chateado e para quem está longe de Belo Horizonte a única forma de mostrar instatisfação é usando a internet. Membros dos Redutos Celestes, grupo de torcedores que se reúne fora dos limites da capital mineira para ver os jogos da Raposa, foi para a rua em dezenas de cidades Brasil e mundo afora para mostrar indignação com os dirigentes do clube.

Em municípios como Brasília, Manaus, Maceió, Natal, Salvador, São Luís, além de manifestações em países como Argentina, Austrália e Estados Unidos os torcedores pediram a renúncia do presidente Wagner Pires de Sá, do vice-presidente de futebol Itair Machado e do diretor geral Sérgio Nonato. 

"O Cruzeiro é maior que qualquer membro da diretoria. Objetivo do protesto é apoiar a saída dos que não estão nada preocupados com o futuro do clube", disse Michel Rangel, líder dos Redutos Celestes e integrante da "Natalzeiros", torcida na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte.

De acordo com o representante do Reduto Celeste o protesto contra a diretoria do Cruzeiro aconteceu em aproximadamente 40 cidades.

Crise

Perto da zona de rebaixamento o Cruzeiro é o 16º colocado na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. A Raposa pode ser ultrapassada pelo Fluminense, caso o Tricolor Carioca vença o Corinthians no fechamento do primeiro turno. E se isso acontecer o time celeste entra no Z-4.

O momento ruim fora de campo acontece por causa da crise financeira. O Cruzeiro luta para colocar os salários de agosto em dia e teve dificuldades para quitar os vencimentos de julho, pagos de duas vezes, sendo a última parcela quitada na última semana. 

Além disso os principais dirigentes do Cruzeiro são alvo de investigação da Polícia Civil e do Ministério Público por possíveis irregularidades na gestão do clube.