Até que ponto uma visita à sua residência pode mudar seu futuro e de outros envolvidos? Pelo menos para Atlético e Flamengo pode-se dizer que a presença de Jorge Jesus no Independência, casa do Galo, no jogo entre eles no turno, foi um fator crucial para explicar o momento vivido pelos dois clubes que se enfrentam hoje, às 20h, no Maracanã, pela 24ª rodada da Série A.

Ainda sob o comando de Abel Braga, vizinho próximo do Galo neste momento, o Flamengo veio a Belo Horizonte enfrentar a equipe comandada pelo então interino Rodrigo Santana em 18 de maio. O anfitrião Atlético recebeu em um de seus camarotes o técnico português Jorge Jesus, que presenciou a vitória do time por 2 a 1. Na ocasião era especulada a vinda do “Mister” para o time mineiro, que demitira havia pouco mais de um mês Levir Culpi.

Vencer um dos mais poderosos esquadrões do futebol brasileiro atuando com um jogador a menos durante todo o segundo tempo foi um grande passo na consolidação de Rodrigo Santana como técnico do Atlético, pois ele foi efetivado no cargo logo depois. Ao vencer o Flamengo, o Galo atingiu a vice-liderança do Brasileirão, somando 12 dos 15 pontos disputados até então.

MUDANÇA

Do outro lado, Abel não conseguia extrair o que se esperava do caro elenco rubro-negro. A derrota no Horto, aliada ao discurso conformado após o resultado, fez crescer a crise entre diretoria e treinador e a passagem do técnico pelo clube carioca chegou ao fim 11 dias após o jogo.<EM>

A partir daí, o cenário imaginado anteriormente se inverteu. Jorge Jesus, antes especulado no Galo, foi parar no Flamengo e logo caiu nas graças da torcida. Semifinalista da Libertadores e líder do Brasileiro, o português já somou 33 dos 42 pontos disputados na Série A.

PRESSÃO

Já Rodrigo Santana viu seu prestígio desabar, pois foi eliminado das Copas do Brasil e Sul-Americana. E o jovem técnico do Galo somou apenas 19 pontos desde aquela vitória sobre o Flamengo, sob olhares de seu rival de logo mais.
Resta saber se Santana será capaz de frear o melhor time do Brasil e conquistar uma vitória sobre o Flamengo de Jorge Jesus, que ainda não perdeu no Maracanã nesta Série A.

Se conseguir ser um visitante indigesto na casa flamenguista, com certeza recupera com a torcida alvinegra pelo menos parte do prestígio que tinha no dia em que Jesus viu o Galo desbancar o poderoso Flamengo.

Leia também:
Análise: Má pontaria e VAR ‘freiam’ o Cruzeiro, cada vez mais perto da Série B
Em busca de 10ª vitória em 11 jogos, Fla defende série invicta aberta há 2 meses
 

(*) sob supervisão de Alexandre Simões