Com a chancela do técnico Felipão, o atacante William Pottker deixou Porto Alegre rumo a Belo Horizonte com a missão de ajudar o Cruzeiro a fazer uma boa campanha no segundo turno da Série B.

Na primeira entrevista coletiva na Toca da Raposa II, Pottker afirmou que vê a situação atual do time celeste parecida com a vivida pelo Internacional, ex-clube do atacante, em 2017, ano em que também disputou a segunda divisão do Brasileiro pela primeira vez.

Apesar de ter terminado o primeiro turno na segunda colocação e, posteriormente, confirmado o acesso com relativa tranquilidade no returno, o Colorado também passou por momentos de oscilação no torneio.

Prova disso é o fato de que o Inter, assim como a Raposa neste ano, trocou de treinador por mais de uma vez no ano, terminando a competição com o terceiro técnico diferente.

Sobre a comparação entre os dois cenários, o atacante afirmou que apenas a qualidade técnica não é suficiente para garantir um bom desempenho na Série B.

"Por incrível que pareça, é meio semelhante a nossa situação com a daquele ano (Inter 2017). O nosso início foi muito difícil. A gente demorou um pouquinho para entender a Série B, que é uma competição que exige muito da parte física, tem que duelar mais. Em 2017, quando entendemos esse processo, sabíamos que na parte técnica e na tática íamos sobressair. Então, igualamos na vontade, na intensidade de marcação e na parte tática a gente sobressaiu. Acredito que esse seja o caminho. A qualidade do grupo é indiscutível", afirmou o jogador.

Parceria com Moreno

Artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série A em 2016 pela Ponte Preta, com 14 gols, ao lado de Fred (Atlético) e Diego Souza (Sport), o novo atacante da Raposa não atua necessariamente como centroavante, tendo a versatilidade como um de seus atributos.

Sobre o posicionamento em campo, inclusive, William Pottker afirmou que gosta de atuar com jogadores com as características de Marcelo Moreno, que ficam como referência no meio da defesa adversária.

"Venho ajudar com minha característica, que é de jogar pelos lados, sempre entrando dentro da área. Sabemos que o centroavante sempre está puxando a marcação de dois zagueiros e sempre quando tem um atacante de beirada pisando dentro da área, ou até mesmo um volante do lado oposto, a área está sempre bem preenchida, está sempre sobrando bola e eu sempre busquei fazer gols assim, sempre quando eu tive jogadores como o Moreno, puxando defensores, eu ficava só com o lateral ou sozinho dentro da área para aproveitar as oportunidades que surgiam".

Como teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário da CBF (BID) nesta quarta, Pottker está apto a estrear pela Raposa no duelo com o Botafogo-SP, nesta sexta-feira (4), às 19h15, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pela 20ª rodada do Brasileiro.