Vencedor dos principais prêmios individuais deste Campeonato Brasileiro, Renato Augusto dividiu com o técnico Tite os méritos por seu desempenho ao longo de toda a competição. Para o meia, o treinador foi decisivo em sua evolução neste ano por estimular sua liderança em campo.

"O Tite me chamou no início do ano e disse que eu tinha uma liderança natural, mas que eu precisava aprender a usá-la: falar na hora certa, cobrar direito. Então, é algo que aprendi e levarei para a vida toda", afirmou o jogador, na noite de segunda-feira, antes de levantar o troféu de Craque do Brasileirão, concedido pela CBF.

Mais cedo, na mesma segunda, Renato Augusto ganhou a Bola de Prata, tradicional prêmio da revista Placar/ESPN Brasil. Nas duas premiações, o meia superou o companheiro Jadson para levar a honraria maior.

Apesar disso, Jadson comemorou com Renato Augusto. "Eu e o Renato fizemos um grande campeonato. Se eu, ele ou outro jogador do Corinthians ganhássemos, ficaria feliz. Então, o importante é o prêmio ficar lá no Corinthians", afirmou o meia, que também foi listado na seleção ideal do Brasileirão.

Assim como o companheiro, Jadson exaltou o trabalho do técnico Tite. "É um ano especial para mim. Escolhi ficar no começo do ano, confiei no meu futebol. O professor e o grupo me passaram confiança também. Hoje vivo grande momento e posso estar aqui comemorando estes prêmios, que sempre foram um grande sonho."

Para o volante Elias, também presente na premiação, os destaques individuais comprovam a força do grupo do Corinthians. "Isso é só representação de tudo que fizemos, do trabalho", disse o volante, que vem ganhando chances na seleção brasileira, as últimas na companhia de Renato Augusto. "Espero ter novas oportunidades na seleção. Eu, o Renato, quem sabe até o Jadson."

Além de Elias, Jadson e Renato Augusto, o Corinthians emplacou o goleiro Cássio e o zagueiro Gil no time ideal do Brasileirão 2015. O atacante Lucca, reserva da equipe, também se destacou ao levar o prêmio de gol mais bonito.

Ao receber o prêmio, o jovem atacante, ex-Criciúma e Cruzeiro, lembrou da sua trajetória no time paulista. "Foi tudo muito rápido, aconteceu de uma forma que eu não esperava. Disputava a Série B e de um dia para o outro tudo mudou. No Cruzeiro, tive uma lesão muito grave. Não pensei duas vezes em vir para o Corinthians, era a chance da minha vida. E continuo pensando assim."