Em reunião realizada nesta terça-feira (25) na sede do América, em Belo Horizonte, os clubes integrantes da Primeira Liga decidiram que não mais organizarão edições da competição, como ocorreu em 2016 e 2017.

Em nota, os clubes pronunciaram que vão trabalhar em questões de bastidores, buscando o desenvolvimento do futebol nacional. Os integrantes ainda se propuseram a construir uma Associação Nacional de Clubes, que também visaria a evolução do esporte no país.

Presidente do América, Marcus Salum foi o representante do Coelho na reunião. Do lado atleticano, o diretor jurídico Lucas Otoni foi o escolhido para falar em nome do clube no encontro. Já o Cruzeiro não enviou nenhum representantante para a reunião.

Segundo Marcus Salum, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, iria ao encontro, mas o turbulento momento do clube, provavelmente influenciou na ausência do dirigente celeste.

 

Além dos mineiros América e Atlético, outros 12 clubes marcaram presença no encontro. Foram eles: Ceará, Internacional, Brasil de Pelotas, Vila Nova-GO, Criciúma, Fluminense, Paraná, Grêmio, Corinthians, Londrina, Atlético-GO e Athletico-PR.

Assim como o Cruzeiro, Flamengo, Figueirense, Coritiba e Avaí também não enviaram representantes para a reunião.

O próximo encontro dos clubes para discutir soluções para o futebol brasileiro acontecerá no início de agosto. "A pauta é comum para todos os clubes. Quem vier, será bem recebido e nós vamos desevolver um trabalho em conjunto", destacou Marcos Salum, presidente da Primeira Liga. 

 

Confira a nota na íntegra:

Comunicado Oficial - Primeira Liga

A Primeira Liga, por meio de reunião entre representantes de clubes fundadores, filiados e convidados, definiu nesta terça-feira suas novas diretrizes de atuação.

Após o debate, os clubes decidiram uma proposta de ajuste e evolução da Primeira Liga, que vai trabalhar em prol do futebol brasileiro, solucionando questões relevantes e pertinentes a todos os clubes.

A principal definição é de que a Primeira Liga não vai mais organizar uma competição, pois entende que o calendário do futebol brasileiro já está superlotado.

Desta forma, a Primeira Liga se propõe a contribuir para a construção de uma Associação Nacional de Clubes, a fim de trabalhar com foco na unificação das agremiações em busca de melhorias para o futebol brasileiro, tais como:

- Aperfeiçoamento e modernização das legislações esportiva, trabalhista e tributária;

- Regularização da intermediação de negócios no futebol;

- Captação de novas receitas no mercado para o futebol;

- Entre outras;

Os Clubes irão trabalhar conjuntamente com as entidades de administração do desporto na busca de soluções para o crescimento do futebol brasileiro.

* Com colaboração de Hugo Lobão