Apesar do imenso esforço, o Dentil/Praia Clube não foi páreo para o Rexona/Ades/Rio de Janeiro. Na manhã deste domingo (3), no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, o time carioca bateu as mineiras por 3 sets a 1, parciais de 25/18, 26/28, 28/26 e 28/26, e conquistou seu 11º título da Superliga Feminina de vôlei, o quarto consecutivo.

Com mais este troféu, o time do Rio de Janeiro se consolida como maior campeão do torneio, ampliando ainda mais a vantagem para o Osasco, que tem cinco. Já o Praia Clube disputou final da Superliga pela primeira vez.

Eleita melhor jogadora da partida, a ponteira Natália fez justiça e passou o prêmio para a oposta Monique, companheira de equipe. "Nosso time conseguiu superar os momentos difíceis que tivemos nessa partida. O Praia exigiu que jogássemos o nosso melhor para conquistar esse título, por isso temos que festejar, pois foi muito difícil. Nosso time não é invencível, mas sim trabalhador. Isso é o resultado do trabalho que foi feito durante toda a temporada", comenta Natália.


A partida foi marcada por muito equilíbrio, tanto é que três dos quatro sets disputados superaram os corriqueiros 25 pontos. Além disso, os dois times tiveram momentos de verdadeiros apagões. Porém, o que fez mais diferença foi o final do terceiro set, quando o Praia vencia por 23 a 19 e deixou o Rio virar.

Estou emocionada com tudo que fizemos nessa temporada. Fizemos história este ano. Protagonizamos um grande jogo e não conseguimos a vitória por um detalhe ali no terceiro set. O trabalho foi feito e muito bem feito e tem que ser comemorado”, avalia a central Walewska, do Praia.

O
jogo
A partida começou como era esperado. Acostumado a jogar finais, o Rio entrou em quadra relaxado e progressivamente foi impondo seu forte volume de jogo. Com isso, chegou ao primeiro tempo técnico vencendo por 8 a 6. Com Juciely bloqueando e atacando muito bem, as cariocas abriram mais um ponto na segunda parada obrigatória, 16 a 13. A partir daí o Praia se desestabilizou e viu o Rio fechar o set em 25 a 18.

Inspirado pela vitória no primeiro set, o Rio rapidamente abriu 5 a 0 na segunda parcial. Porém o Praia acordou e encostou no placar no primeiro tempo técnico, 8 a 6 para o Rio. Enquanto o Praia tinha muito trabalho para conseguir colocar a bola no chão, o Rio ia marcando seus pontos sem dificuldade, com isso, ampliou a vantagem para 16 a 13 na segunda parada obrigatória. Picinin então mexeu no time e colocou em quadra Pri Daroit, que ajudou o time principalmente nos bloqueios a virar o jogo e em um bloqueio de Alix fechou a parcial em 28 a 26, e empatou a partida em 1 a 1.

Empolgado com a vitória no segundo set o Praia voltou inspirado na terceira parcial e abriu quatro pontos de vantagem no primeiro tempo tempo técnico, 8 a 4. Aproveitando a inspirada ponteira norte-americana Alix, o Praia manteve a vantagem na segunda parada obrigatória, 16 a 12, e chegou a ter 23 a 19. Porém, não se pode descuidar contra o Rio, sem conseguir colocar a bola na quadra carioca, as mineiras viram o Rio virar a partida e fechar o set em 28 a 26, em um bloqueio da levantadora Roberta.

Após o equilíbrio no segundo e terceiro sets, o quarto e derradeiro set não podia ser menos disputado. Vencendo a partida por 2 sets a 1, as cariocas começaram melhores e abriram 8 a 5, no primeiro tempo técnico e mantiveram a vantagem no segundo, 16 a 13. Aí a central Walewska, do Praia, começou a bloquear até pensamento e ajudou o time mineiro a virar para 17 a 16. Com as duas equipes se alternando na liderança, Natasha também apareceu com destaque marcando quatro pontos seguidos, mas quem fechou a parcial e o jogo, foi a central Carol, em um contra-ataque.