Com discursos protocolares, autoridades políticas e do meio esportivo de Brasil e Reino Unido iniciaram neste sábado, no Rio de Janeiro, o Debriefing Oficial, evento promovido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) no qual a última sede olímpica tem a obrigação de transferir dados e conhecimento para a próxima cidade que vai sediar o evento.

Por quatro dias, grupos vão discutir no Rio de Janeiro temas específicos relacionados aos Jogos. Logo na sessão de abertura do Debriefing, o coordenador do Comitê Londres 2012, Denis Osvald, enfatizou que o sucesso de uma Olimpíada está diretamente ligado à competitividade do país-sede e tratou de deixar seu recado para os brasileiros. "O brilho das equipes locais contribui demais para a grandiosidade dos Jogos. Vou logo dizendo isso para meus colegas do Brasil, que eles preparem bem seus atletas".

Descontraído, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, deixou no ar uma leve alfinetada na Fifa por causa de alguns percalços com relação à organização da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. "Nosso país vai receber nos próximos anos vários eventos muito importantes. Sem entrar em detalhes, o COI é a única entidade que tem se mostrado altamente profissional", declarou.

A entidade que comanda o futebol internacional não tinha nada que ver com o evento, mas acabou citada depois da fala de Eduardo Paes, em algumas rodas de conversa entre autoridades. Para Carlos Arthur Nuzman, anfitrião do encontro, o projeto Rio 2016 "está ganhando força e vai aos poucos transformando o Rio e o Brasil".

A solenidade deste sábado ocorreu em um hotel da Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. Não houve entrevistas. Neste domingo, uma comitiva do COI e dos comitês britânico e brasileiro vai ao Engenhão para ver Fluminense x Cruzeiro. Antes, pela manhã, já dão início às discussões temáticas