O Atlético se prepara para duelar contra o Defensor do Uruguai pela terceira fase (e última antes dos grupos) da Copa Libertadores. E reencontrará um personagem curioso no único confronto da história entre as duas equipes. O técnico dos 'violetas' é Jorge da Silva, responsável por marcar um gol antalógico no Mineirão, diante do Galo, e contra Taffarel.

Num amistoso de início de temporada em 1997, o Atlético venceu o Defensor no Gigante po 2 a 1, com gols de Valdeir e Evair. Naquele time, ainda tinha Márcio Santos e Taffarel, dois recém-campeões do mundo pelo Brasil. O gol do Defensor foi após uma confusão quando Marcos Adriano foi expulso após cometar falta no ataque.

Muita distração no lance e Jorge 'Polilla' da Silva, camisa 10, capitão da equipe, aos 36 anos, na reta final da carreira, chutou dali mesmo, mais de 60 metros de distância até o gol do Atlético. E silenciou tudo. Golaço, histórico, esquecido nos 22 anos que se passaram. Jorge da Silva era um veterano na época, cria do Defensor, após passar justamente pelas categorias de base do Danubio, adversário do Galo na rodada passada. Danubio, inclusive, que tem como ídolo Rúben da Silva, irmão mais novo de Jorge, bicampeão nacional pelos franjeados (1988 e 2004).

 

 

Com carreira pelo River Plate e Espanha, chegou a faturar o troféu Pichichi, dado ao artilheiro do Campeonato Espanhol. Venceu em 1984, com 17 gols pelo Valladolid, hoje time comprado por Ronaldo Fenômeno. Após este sucesso, foi pro Atlético de Madrid, e chegou a disputar a Copa do Mundo de 1986 no México.

Foi se aventurar no América de Cali, da Colômbia até voltar ao Defensor e encerrar a carreira. Virou treinador da Seleção Uruguaia Sub-20, do próprio Defensor, onde conquistou o Uruguaio em 2008, depois chegou ao Peñarol e estava justamente no América de Cali.

Apesar da ligação histórica, Jorge vive momento turbulento no Defensor. Afinal, o clube quase foi eliminado da Libertadores em duas oportunidades. Primeiro, se safou de cair em casa diante do Bolíviar por ter vencido fora 4 a 2 (perdeu por 3 a 2 no Franzini). Só está vivo por conta de irregularidade na escalação de Barcelona de Guayaquil. Estreou no domingo pelo Uruguaio, perdendo em casa para o Peñarol.