O empate sem gols com o Santos na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil deixou satisfeito o técnico Rodrigo Santana. Apesar de não ter conseguido a vitória, o interino do alvinegro viu com bons olhos os resultados, mesmo afirmando que, se houvesse um vencedor, este seria o Atlético, principalmente pela atuação no segundo tempo.

"O Santos teve mais volume até os 15 primeiros minutos do primeiro tempo, até começarmos a encaixar a marcação. É um time muito difícil de se marcar. A equipe foi encaixando e isso foi gerando certa dúvida neles. Estávamos apostando muito na transição ofensiva. Corrigimos no intervalo, a equipe entendeu bem, por isso fomos melhores no segundo tempo", comentou o treinador.

Sobre a volta do equatoriano Cazares ao time, Santana se mostrou certo da decisão. Segurá-lo até o duelo contra o Santos, inclusive, deu a certeza ao comandante de que o camisa 10 agora, finalmente, poderá figurar entre os onze titulares.

"Cazares é um jogador acima da média tecnicamente, nos faz falta e é o jogador de criação que todo mundo cobra. Temos que ter cuidado, perdemos na final, foi liberado na semana antes do Palmeiras, vinha treinando em dois períodos, e não era momento de colocá-lo", disse o interino.

Fábio Santos

Substituído aos dois minutos do primeiro tempo, o lateral-esquerdo Fábio Santos será examinado nesta quinta (16), mas, mesmo que não seja apontada lesão, não deverá estar em campo diante do Flamengo, no sábado (18). O esforço do camisa 6, que não vem de hoje, também foi destacado pelo "professor".

"Fez 64 jogos em 2018 e foi um dos jogadores que mais entrou em campo no mundo. Ele é tão profissional que não estava na lista para a Venezuela e pediu para ir. Ele sentiu a posterior da coxa, pediu para sair, mas é um cara que não quer ficar de fora de nenhuma partida", finalizou.