A estreia como treinador efetivo do Atlético certamente não foi a esperada por Rodrigo Santana. Com uma atuação muito ruim, o Galo foi derrotado por 3 a 0 para o Cruzeiro, nesta quinta-feria (11), no Mineirão, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil e se distanciou da vaga na próxima fase do torneio.

Um dos fatores preponderantes para o revés do Galo no Gigante da Pampulha foi o grande número de erros individuais dos jogadores no confronto com a Raposa. Dois deles, inclusive, proporcionaram dois dos três gols marcados pelo rival.

Em entrevista coletiva após o duelo, Rodrigo Santana lamentou as falhas que culminaram com as bolas nas redes do goleiro Victor.

“Esse erro de hoje foi alertado (referindo-se ao segundo gol). Tomamos um gol no primeiro jogo da final foi dessa forma. Perdemos a bola na frente da área, eles roubam a bola e são verticais. A gente alertou, passou vídeos, e erramos novamente. A gente segue nosso planejamento, seguimos com time alternativo, e vamos procurar fazer grande jogo, pois o Brasileiro é importante para a gente e queremos ir bem na Copa do Brasil”.

A pouca efetividade do ataque atleticano, exemplificada pelas poucas vezes em que o goleiro Fábio foi exigido também foi comentada pelo comandante alvinegro.

“A gente ia ter um jogo bem controlado, bastante encaixado, mas tomamos o primeiro gol, e isso fez o Cruzeiro retomar sua características, baixar as linhas e ficar atrás. Nessa disputa, acabamos levando dois gols. Faltou mais agressividade no meio, e optamos por ser mais agudo no segundo tempo. Estávamos dando opções pelo lado. A gente poderia ter competido mais. Não acredito que tenhamos sido displicentes. Espero que na próxima partida nós possamos ser mais agressivos, tanto na defesa, quanto no ataque”, disse.

Fé na virada

Apesar do abatimento após uma dura derrota para o maior rival, Santana mostrou confiança na virada do Atlético no segundo duelo, marcado para a próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência.

“Podemos fazer os três da mesma forma que tomamos hoje. No futebol acontecem coisas que não conseguimos entender. É muito difícil de reverter, mas temos de lutar até o fim. Trabalho com o que a gente tem. Tudo é ritmo, entrosamento, até levar tempo", ressaltou.

Antes do jogo de volta pela Copa do Brasil, o Atlético vai a Santa Catarina enfrentar a Chapecoense, no próximo domingo (14), às 19h, na Arena Condá, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.