Chegou ao fim a passagem de Rodrigo Santana pelo Atlético. O treinador não resistiu ao péssimo momento vivido pelo Galo na temporada, e foi demitido após a goleada por 4 a 1 para o Grêmio, neste domingo (13), no Independência pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.
 
A demissão ocorreu dois dias após ele completar seis meses no comando do Atlético. A passagem teve momentos paradoxais, como a euforia pela liderança do nacional e a eliminações seguidas em competições de mata-mata.
 
Contratado em 2018 para ser o comandante do time sub-20 do clube, Santana assumiu como técnico interino do time principal em abril deste ano, após a demissão do técnico Levir Culpi, que não resistiu à má campanha do time alvinegro na Libertadores, quando o Galo foi eliminado ainda na fase de grupos e sofreu para conseguir se classificar à Sulamericana.

Após um início de trabalho promissor, o técnico foi efetivado como treinador do Alvinegro em junho. Foram 42 jogos no comando da equipe, com aproveitamento de 50% — 19 vitórias, seis empates e 17 derrotas —. Contudo, o que mais pesou negativamente para Santana foram as derrotas em momentos definidores da temporada. Rodrigo deixa o Galo na 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos. 
Foi sob a batuta do treinador que o Atlético perdeu por 3 a 0 para o Cruzeiro no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Mesmo com a Raposa já vivendo má fase na temporada, o Galo de Santana não conseguiu aproveitar o momento superior. O time não conseguiu reverter o placar no jogo de volta e foi eliminado após fazer 2 a 0 no Horto.

Assim também foi a decepção na Copa Sul-Americana, que o torcedor alvinegro abraçou como esperança de título em 2019. Com exceção do Botafogo, o Galo passou relativo aperto para definir a classificação contra os rivais continentais. Na semifinal, foi eliminado pelo modesto Colón, da Argentina, nos pênaltis, em um Mineirão lotado.

Gangorra

A campanha no Campeonato Brasileiro, foi uma espécie de retrato do momento vivido pelo time durante toda a temporada. O Atlético chegou a liderar o Brasileirão após três vitórias seguidas, e conseguiu bater o Flamengo por 2 a 1, ainda no início da temporada, em noite de grande atuação de Chará no Independência.

Mas a temporada foi passando, e o treinador não soube conviver com problemas no elenco. Irregular, Chará não foi decisivo na metade para frente do turno. Seu colega, Cazares, envolvido em problemas extra-campo, chegou a ser punido ficando no banco em alguns jogos, mas acabou voltando por falta de opções no elenco, devido à má fase no Brasileirão.

Antes líder, o Galo foi caindo no Brasileiro após uma sequência de seis rodadas seguidas. Nos últimos 11 jogos, foi apenas uma vitória. O sofrido triunfo sobre o Ceará, que vinha em igual queda por 2 a 1. De relance, umas modestas atuações, como o empate ante o Palmeiras, por 1 a 1, no último domingo (6).

A situação insustentável, porém chegou ao estopim na derrota para o Grêmio, a quinta em casa nesta edição do Brasileirão. Visitante ineficiente e mandante sem dominar em sua casa, o Galo parece estar num corredor de CTI. Outrora líder, o Galo agora está há sete pontos da zona de rebaixamento.

Leia mais