Em péssima fase no Campeonato Brasileiro, e agora sem técnico, após a demissão de Rodrigo Santana, que não resistiu a goleada sofrida para o Grêmio por 4 a 1, neste domingo (13), no Independência, o Atlético volta ao mercado para buscar um novo comandante. 
 
Após a confirmação da saída de Santana, o diretor de futebol do Galo, Rui Costa afirmou que, mesmo com a iminente mudança de treinador, o clube ainda não tem definido o perfil o próximo técnico. 
 
"Não temos essa decisão de perfil estabelecida. Isso não estava sendo analisado dessa forma, mesmo sabendo que o futebol é assim, que a cada reusltado ruim do Rodrigo ele ficava em uma condição de fragilidade. Mas vou conversar com o presidente, vamos fazer uma reunião com a diretoria", afirmou Rui, em entrevista coletiva, no Horto.  
 
Apesar de indefinição sobre quem vai assumir a equipe, o dirigente afirmou que a diretoria tem pressa para acertar com o novo treinador. 
 
"Amanhã vamos nos empenhar o máximo para que esse profissional chegue o quanto antes, porque cada jogo pra nós passa a ter uma importância transcendental. Nós temos muito claro que é importante termos um profissional que entenda o momento em que estamos vivendo. Nós temos que fazer uma leitura muito clara do mercado. Não é facil contratar treinador nessa época do ano, e um treinador que reuna as condiçoes para encarar um projeto como esse. Vamos trazer um profissional que queira estar  conosco, que aceite esse desafio, como o Rodrigo aceitou, e que tenha, acima de tudo, capacidade de identificar a qualidade que esse grupo tenha e resgatar o caminho das vitórias". 
 
Rebaixamento
 
O momento ruim do Galo no Brasileiro, que contempla uma série de nove derrotas nos últimos onze jogos, ligou o sinal de alerta na Cidade do Galo, em relação ao risco de rebaixamento. 
 
 Na 11ª posição, com 31 pontos, o Alvinegro está apenas seis pontos à frente do CSA, 17º colocado, e primeiro time dentro do Z-4. 
 
Mesmo com a queda vertiginosa na tabela, e fraca pontuação - sao apenas 4
quatro pontos nos últimos 33 disputados - Rui Costa foi enfático, negando que o grupo trabalha com o risco de uma queda à Série B. 
 
"Não (trabalhamos com essa hipótese). Nós trabalhamos jogo a jogo. Tenho abolsita conviccção, o torcedor pode ter certeza disso, que o nosso grupo não fala disso (risco de rebaixamento)". 
 
Em seguida, Costa explicou de onde vem a confiança de que o time não vair brigar na parte debaixo da clasisficação na parte final do campeonato. 
 
"Eu trabalho com esses caras todos os dias. Eu vi gente chorando no vestiário. Teve pai de família que recebeu cusparada hoje. É difícil. Sebemos que o futebol é emoção, o torcedor tem todo o direito de ficar indignado, mas alguns jogadores tomaram cusparada. Te afirmo, com toda a convicção, que não falamos sobre isso. Não falamos porque somos irresponsáveis, mas porqeue eu conheco o grupo de atletas, de profisssionas que temos no vestiário, e tenho certeza que estamso buscando somar pontos, mas esquece isso, desse assunto a gente não fala". 
 
Muito pressionado, o Atlético volta a campo na quarta-feira (16), para enfrentar o CSA, às 19h15, no estádio Rei Pelé, pela 26ª rodada do Brasileirão.