Um dos concorrentes na briga pelo Brasileiro, o São Paulo perdeu força justamente na reta final e, da liderança, caiu para o quarto lugar. A queda de rendimento teve consequências nesta segunda-feira (1). O clube anunciou a demissão do técnico Fernando Diniz e a saída do diretor executivo Raí.

"Também serão desligados o preparador físico Wagner Bertelli e os auxiliares Marcio Araújo e Eduardo Zuma, que chegaram ao clube junto com o treinador", informou parte da nota oficial do Tricolor.

Diniz dirigiu o time paulista durante 16 meses. Em 74 partidas, obteve 34 vitórias, 20 empates e 20 derrotas. Isso sem contar os três jogos em que o auxiliar Marcio comandou a equipe, devido a suspensões do técnico (um triunfo, um empate e um revés).

O São Paulo vem em queda livre na Série A. Nos últimos seis jogos, perdeu para Bragantino (4 a 2), Santos (1 a 0), Internacional (5 a 1) e Atlético-GO (2 a 1) e empatou com o Athletico-PR (1 a 1) e Coritiba (1 a 1).

Em meio a este cenário, problemas envolvendo o elenco e o comandante invadiram o vestiário do clube. Sobretudo, as rusgas entre Diniz e Tchê Tchê.

Para uma equipe que chegou a ser líder, com sete pontos de vantagem sobre o segundo colocado, ocupar a quarta posição, após 33 rodadas, e se ver cada mais longe da luta pelo troféu se tornou um cenário insustentável para a diretoria.

Para o lugar de Raí, o Tricolor contratou Rui Costa, ex-Atlético.

São Paulo