O São Paulo mudou de estratégia e vai auditar todos os contratos firmados nos cinco últimos anos pelo clube. A empresa responsável por esse trabalho foi contratada para fazer apenas uma análise das finanças do time. Porém, a partir de agora, terá uma missão mais ampla, com o intuito de examinar as gestões dos dois últimos presidentes são-paulinos.

A empresa PricewaterhouseCoopers (PwC) foi contratada pelo empresário Abílio Diniz e já trabalha no São Paulo para encontrar possíveis falhas na organização financeira. O clube do Morumbi admite ter graves problemas econômicos e trabalha para identificar aspectos em que pode melhorar. A dívida total é de aproximadamente R$ 272 milhões.

O trabalho de revisão em todos os contratos firmados nos últimos cinco anos vai contemplar a gestão de Juvenal Juvêncio (2006 a 2014) e também de Carlos Miguel Aidar (2014 a 2015). A ideia foi promovida pelo atual presidente, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que assumiu o cargo em outubro após renúncia de Aidar.

Na próxima semana Leco e representantes da PwC devem se reunir para discutir o início dos trabalhos de análise nas contas do clube. Embora o São Paulo não detalhe os números, no último ano o orçamento apresentado pela diretoria previa um déficit de R$ 53 milhões ao fim de 2015. O valor final deverá ter alterações, já que na temporada o clube conseguiu reduzir o elenco com a venda de jogadores.