No ano passado, ainda pela Carlin, ele largou em quinto, recebeu a bandeirada em quarto na corrida do sábado e, no domingo, cruzou a linha em segundo.

Foi ao pódio, estourou a champanhe, mas acabou desclassificado por um erro da equipe – não sobrou, no tanque do Dallara Mecachrome, a quantidade mínima de gasolina exigida pelo regulamento.

Agora defendendo a francesa DAMS, e com uma posição entre os três primeiros da Fórmula 2 como objetivo (para ter direito à Superlicença, que daria a chance de ser titular na F-1), Sérgio Sette Câmara está de volta às ruas de Baku, no Azerbaijão.

Neste fim de semana, a expectativa para a segunda etapa da temporada é fazer ainda melhor do que no ano passado, sem sustos depois de descer do carro.

“É um traçado desafiador que em vários pontos lembra a pista de Macau, a minha favorita. Eu consegui na primeira etapa um bom ritmo nas duas provas e, tenho certeza, a equipe mais uma vez me entregará um carro rápido e confiável. Aqui, como a reta e muito grande, tem sempre muitas ultrapassagens. Assim, trabalhar com foco na estratégia pode ser a chave das vitórias”, destaca o piloto de Belo Horizonte, que vem de dois terceiros lugares na abertura do campeonato, no Barein.
Mesma posição ocupada no campeonato, com 27 pontos, 10 a menos do que o líder, o italiano Luca Ghiotto.

Melhorar o desempenho na qualificação, aliás, é o objetivo para o fim de semana na ex-república soviética – largar em oitavo em Sakhir obrigou o mineiro a buscar uma recuperação.

'Dois em um'
A comparação feita por Serginho entre Baku e Macau não é casual. O traçado montado diante do Mar Cáspio tem 6.003m, um trecho bastante sinuoso e estreito, com os muros próximos mas, por outro lado, a maior reta do calendário.

E como na Fórmula 2 o equipamento é o mesmo para todos os times, o desafio passa a ser aproveitar a ajuda da asa traseira móvel (DRS) para ganhar velocidade extra – o dispositivo é acionado nos pontos definidos pela direção de prova quando a diferença para o carro que vai à frente é inferior a um segundo.

Ao mesmo tempo, ser capaz de oferecer resistência e defender a posição, algo que o representante brasileiro na categoria fez muito bem ano passado. É preciso lidar ainda com o desgaste dos pneus, outra preocupação especialmente na corrida curta do domingo, que não tem pitstop obrigatório.

O principal desafio para encontrar o acerto ideal é o pouco tempo à disposição – apenas um treino livre de meia hora na sexta-feira, antes da qualificação.
Neste aspecto, a experiência de Sette Câmara, que corre em Baku pela terceira vez, pode se mostrar decisiva na comparação com os estreantes, que só contam com os dados da telemetria das equipes e a preparação nos simuladores.

Leia mais de automobilismo e motociclismo no site Racemotor (https://www.racemotor.com.br)

RÁPIDAS

TERCEIRA ETEPA DO MINEIRO DE KART

ESQUENTOU O SÁBADO NO RBC RACING

A véspera da Páscoa foi de velocidade e pegas no Kartódromo RBC Racing, em Vespasiano, com a rodada dupla válida pela terceira etapa do Mineiro de Kart. Nada menos que 75 pilotos participaram das disputas, com destaque para a estreia da Copa Bamaq. Na Cadete, domínio de Lucas Moura, enquanto Enzo Azevedo levou a melhor na Mirim. João Paulo de Paoli dominou a corrida de ‘formatura’ dos pequenos do Projeto Piloto do Futuro. Na Super Sprinter, dupla vitória de Fernando Buzollo, com Lucas Staico vencendo na Júnior. Joanes Gouveia conseguiu a maior pontuação na Indoor, enquanto Helena Melo fez bonito na F-4/F-4 Júnior, também recebendo a bandeirada na frente nas duas corridas.

DUPLA DO ESTADO INICIA DISPUTA DA

MITSUBISHI CUP NO INTERIOR PAULISTA

Depois de ficar com a segunda posição da categoria Pró-Brasil na primeira etapa do Brasileiro de Rally Cross-Country (o Rally Minas Brasil, em Patos), Marco Túlio Lana (Lana Racing) inicia, neste fim de semana, a disputa da Mitsubishi Cup, o tradicional campeonato monomarca para os veículos off-road da montadora japonesa, que chega à 20ª temporada. Tendo excepcionalmente Fred Mol como navegador, ele encara as feras da L200 Triton ER, uma das categorias mais equilibradas da disputa, no percurso montado em Mogi-Guaçu (SP). Serão três trechos cronometrados de 35 quilômetros de extensão cada, sempre terminando próximo ao Autódromo Velo Città.