O título do Masters 1000 de Monte Carlo, no último domingo, fez de Novak Djokovic o primeiro tenista na era profissional a conseguir vencer o Australian Open e os três primeiros torneios Masters de uma mesma temporada. A sequência do sérvio é ainda mais importante se 2014 for contabilizado, pois fechou o ano vencendo o Masters 1000 de Paris e o ATP World Tour Finals.

Com o quarto troféu de Masters consecutivo, Djokovic totaliza 23 troféus de nível Masters e iguala a marca do suíço Roger Federer. O sérvio já ameaça o recordista Rafael Nadal, que acumula 27, mas não vence um evento dessa categoria há praticamente 12 meses.

Tamanho domínio no circuito masculino fez com que o número 1 do mundo abrisse 5.460 pontos de vantagem para o vice-líder Federer. Agora, Djoko soma 13.845 pontos, enquanto o vice-líder Federer tem 8.385, maior margem nas suas três passagens pela liderança.

Para avaliar a disparidade do sérvio com os seus principais rivais, no mesmo período Roger Federer disputou 61 partidas, com 53 vitórias e oito derrotas, conquistando cinco títulos – ATP 250 de Brisbane, ATP 500 de Basel e Dubai, e Masters 1000 de Shangai e Cincinatti). Já Nadal disputou 35 jogos, vencendo 25 e perdendo dez, tendo disputado 11 torneios e conquistado apenas um título.

Invicto há 17 partidas, o sérvio só volta a entrar em quadra no início de maio, para a disputa do Masters 1000 de Madrid e Roma, antes de Roland Garros.

Outro grande objetivo do Sérvio nesta temporada é a conquista do Golden Slam, que significa ganhar os quatro torneios Grand Slam – Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open – na mesma temporada. O feito é raro e só a alemã Steffi Graf conseguiu a façanha, em 1988. Em 2011, o Djoko também chegou próximo, mas falhou em Roland Garros.

Só nesta temporada, Djokovic venceu Grand Slam e três Masters

 

Bellucci atropela

O paulista Thomaz Bellucci teve nesta segunda-feira (20) excelente estreia no ATP 500 de Barcelona. O tenista atropelou o japonês Yuichi Sugita, 140º, sem sustos, com parciais de 6/1 e 6/0, em 49 minutos. Na próxima fase o brasileiro irá enfrentar o espanhol Roberto Bautista, 16º do mundo.

Depois de fazer história e conquistar seu primeiro título de WTA quebrando um jejum de 27 anos do Brasil no circuito, Teliana Pereira chegou ao melhor ranking da carreira, com o 81º lugar, 49 postos acima da semana anterior.