A súmula da partida entre Atlético e Cruzeiro, disputada na última quarta-feira (17), no Independência, foi a única entre os quatro confrontos das quartas de final da Copa do Brasil que ainda não foi divulgada.

Os documentos relacionados aos duelos entre Bahia e Grêmio, Internacional e Palmeiras e Flamengo e Athletico-PR já foram publicados no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A expectativa em torno do relato do árbitro é grande em função da série de incidentes que ocorreram antes, durante e após a partida, que terminou com a vitória do Galo por 2 a 0, placar que garantiu a Raposa na semifinal do torneio, por ter vencido o jogo de ida por 3 a 0.

Segundo a CBF, o documento não foi veiculado por motivos técnicos e a expectativa é que o problema seja corrigido até o final do dia.

Incidentes

Logo antes do início do jogo, quando se encaminhavam para o banco de reservas, os jogadores da Raposa que não iriam iniciar a partida foram recebidos com cusparadas e bebidas arremessadas por alguns torcedores do Galo.

Durante o tumulto que envolveu o gol anulado do Cruzeiro após interferência do VAR, que culminou com a troca de agressões entre Alerrandro e David, que foram expulsos, atleticanos novamente lançaram copos em direção ao gramado.

Quando o zagueiro Dedé foi entregar um dos recipientes para arbitragem, uma nova confusão, dessa vez envolvendo jogadores dos dois times se formou à beira do campo.

Já no final da partida, novamente objetos foram arremessados em direção ao campo. Entre os itens, estavam bombas e até isqueiros, que caíram perto do goleiro Fábio, enquanto o camisa 1 do time estrelado comemora a classificação do Cruzeiro.

Apedrejamento

Todavia, o fato mais lamentável da noite ocorreu no entorno do Independência.

De acordo com a Polícia Militar, o ônibus que transportava a delegação celeste foi apedrejado na avenida Silviano Brandão, no bairro Horto, Leste de BH. Pelo menos dois integrantes da comitiva foram atingidos e sofreram ferimentos leves. Os militares que faziam o comboio revidaram e dispararam tiros de borracha.

Dependendo do que for relatado na súmula, os clubes e os jogadores envolvidos no tumulto poderão ser punidos pela CBF.