O Sada Cruzeiro confirmou neste domingo o hegemonia no vôlei masculino brasileiro. Após perder o primeiro set, o time mineiro impôs seu domínio. Diante de uma torcida azul empolgada e barulhenta, superou o adversário de virada, pelo placar de 3 a 1, com parciais de 23/25, 25/23, 25/15 e sagrou-se tetracampeão da Superliga. O palco da grande decisão foi o ginásio Nilson Nelson, em Brasília.

+ ‘Posso ser prejudicado pela falta de critério’, afirma Wallace

Em sua sexta final consecutiva, o Sada Cruzeiro manteve a supremacia no vôlei, já que a mesma equipe que entrou em quadra neste domingo faturou os títulos nas temporadas 2013/2014 e 2014/2015.

A final deste domingo começou em ritmo forte, com lances dignos de uma batalha pela taça de campeão. Considerado o favorito, o Sada Cruzeiro tentou surpreender nos primeiros pontos, mas o Brasil Kirin, atento, respondeu à altura e o duelo foi bastante equilibrado. Com ótima atuação, o levantador campineiro Gonzalez foi um dos destaques. Já o time do técnico Marcelo Méndez, com rendimento no saque abaixo do esperado, cedia espaço e viu o rival fechar em 25/23.

A segunda parcial também teve equilíbrio, com a disputa ponto a ponto. A equipe de Campinas chegou a estar na frente, mas o Cruzeiro acabou vencendo por 25/23, e igualou o marcador do jogo.

O Sada Cruzeiro voltou embalado e liderou todo o 3º set. Melhorou o rendimento nos principais fundamentos, como o saque, e cresceu na partida. Fez 13/8 e pressionou o rival. O placar chegou a 21/14 e fechou em 25/15. A vantagem incendiou a arquibancada, que contava com a presença de vários familiares de jogadores celestes.

O Brasil Kirin renasceu na partida, voltou melhor e o quarto set foi disputadíssimo. Os jogadores se encaravam e faziam provocações, num clima quente em quadra. Chegou a ter set point para o time de Campinas, que teve esperança de levar a final para o tie-break. Mas o Sada Cruzeiro virou o marcador e venceu a parcial, por 30/28, selando a conquista do título.

Emoção

Muito emocionado, o oposto Wallace chorou após receber o abraço do técnico Marcelo Mendez. “Ele me agradeceu, mas sou eu quem tem que agradecer a ele e por tudo o que aconteceu na temporada. Mesmo tendo passado por cirurgia, os caras confiaram e acreditaram em mim. É até difícil falar. Em alguns momentos, cheguei a pensar que não ia jogar de novo. Essa vitória foi sensacional e estão todos de parabéns”, declarou.

Eleito a melhor recepção da Superliga, o ponteiro Filipe disse que ganhar uma medalha com a camisa amarelinha é o desejo que falta realizar após mais esse trunfo. “É um sonho representar o meu país e jogar pela Seleção Brasileira”, afirmou.

O levantador William disse que o atual time do Cruzeiro é um dos melhores da história. “Está entre os melhores, se não for o melhor, tanto pelos títulos quanto pela dedicação e seriedade. O time escreveu várias páginas importantes do voleibol brasileiro. Espero ter contribuído para esse legado”, disse após a vitória.