Nascido no mesmo ano em que o Atlético conquistou o único Campeonato Brasileiro de sua história, o ex-meia Robert comemora 49 anos nesta sexta-feira (3). Treinador de futebol, ele vem de trabalhos no Mato Grosso do Sul e, apesar de residir em São Paulo, passa o período de quarentena com a família no Rio de Janeiro.

Contratado pelo alvinegro em 1999, ele quase deu a volta olímpica na competição mais importante do país, esbarrando no Corinthians na grande final. Ao todo, Robert fez 44 jogos com a camisa atleticana e marcou oito gols.

"O Atlético foi uma retomada na minha carreira. Foi um clube que acreditou em mim e agradeço muito. O professor Dario Pereyra que requisitou minha contratação junto ao Grêmio. Estava muito tempo sem jogar. Minha ida para o Galo foi ótima e fui muito feliz aí. Me adaptei muito rápido e fizemos história", conta Robert ao Hoje em Dia.

"A torcida é espetacular e incrível. A Massa nos apoiava bastante e segue sendo muito fanática. Ao contrário do que dizem, não é o time que incendeia a torcida; no Galo, é a torcida que faz este papel", acrescenta.

Sobre o vice-campeonato de 99, Robert destaca o encaixe da equipe e, principalmente, a frustração pelo "quase", entalado na garganta dos atleticanos. "Tivemos aquele sentimento de um pouco de frustração, pela nossa arrancada e por termos eliminado o Cruzeiro no mata-mata. Aquele jogo contra o Corinthians no Mineirão foi espetacular; demos uma vacilada no segundo e, no terceiro, pressionamos bastantes, mas o Dida fez o maior jogo da vida dele. Seria um baita de um título", opina o ex-jogador.

Momento atual

Sobre o atual momento do Atlético, Robert diz que acompanha de perto e que ficou muito feliz com a contratação de Jorge Sampaoli. O ex-meia destaca o trabalho feito pelo argentino no Santos.

"Fiquei muito feliz com a contratação do Sampaoli, porque eu acompanhava a os treinamentos lá no Santos. É um profissional extremamente qualificado e vai colocar o Atlético no seu devido lugar de projeção e de time protagonista, como Flamengo, Palmeiras e Grêmio, que são os times mais ajustados atualmente, na minha opinião", finaliza.