O empate por 1 a 1 diante do River Plate-URU e, consequentemente, a eliminação precoce na Copa Sul-Americana não deixaram o técnico Jorge Sampaoli nada satisfeito. Momentos após o resultado em pleno Pacaembu, nesta terça-feira, que gerou a queda logo na primeira fase do torneio, o argentino admitiu a atuação ruim de seus comandados.

"A partida era sobre romper a barreira que eles (River) colocariam, com muitos jogadores perto da área. Não encontramos o caminho. Com o passar do tempo, isso potencializou, eles conseguiram nos neutralizar", declarou. "Tivemos a pressão, mas não conseguimos furar a defesa deles rapidamente. Não tivemos a dinâmica de outras partidas para furar este tipo de defesa."

A queda veio depois de o time paulista ter empatado por 0 a 0 na partida de ida, em Montevidéu. E apesar de seus comandados não terem sido derrotados fora de casa, Sampaoli "culpou" a primeira partida pela eliminação. "Acho que a eliminação do Santos tem mais a ver com o que aconteceu no Uruguai. Mas o futebol tem disso, às vezes beneficia um time que chutou só uma bola no gol em uma partida."

O treinador lamentou a ausência de torcida nesta terça, uma vez que a equipe atuou com os portões do Pacaembu fechados por causa dos incidentes protagonizados por torcedores na eliminação da Libertadores do ano passado, para o Independiente. O próprio argentino, porém, garantiu que não foi por isso que o time foi eliminado.

"Isto de jogar sem público não é do futebol. Não justifica a eliminação, evidentemente, mas isso de toda a torcida do Santos não poder entrar no estádio por causa de 50 pessoas me parece errado. O Santos sentiu falta da torcida, mas viemos preparados para jogar assim", apontou.

Com a queda na Sul-Americana, o Santos volta as atenções agora para o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil. O próximo compromisso da equipe será diante do Oeste, neste sábado, novamente no Pacaembu, pelo Estadual.