O técnico Jorge Sampaoli teve motivos de sobra para lamentar a eliminação sofrida pelo Santos na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, onde o time foi derrotado por 2 a 1 pelo Atlético-MG e deu adeus à Copa do Brasil. Para o treinador, o revés neste duelo de volta das oitavas de final da competição se deveu em muito à ansiedade mostrada pelos seus jogadores na hora de finalizar os seus ataques.

"O time foi muito ansioso na hora de definir as jogadas. Os dois contra-ataques que o adversário teve no segundo tempo foram um pela esquerda e outro pela direita. Temos que ter tranquilidade quando o gol não chega e não perder a forma. Quando nos desequilibramos acontece o que aconteceu", analisou o comandante argentino, em entrevista coletiva, se referindo também aos gols marcados por Chará em momentos nos quais a zaga santista foi pega de surpresa.

Outro fato bastante lamentado por Sampaoli após o duelo desta quinta-feira foi o público pequeno que marcou presença no Pacaembu. Menos de 17 mil pessoas foram ao estádio e a estratégia do clube de levar o confronto para o local se revelou um fiasco, ocorrido também por causa dos preços dos ingressos, considerados caros para muitos torcedores santistas.

"Jogamos no domingo passado contra o Ceará com 60 mil pessoas do rival (no Castelão, em Fortaleza, pelo Brasileirão). Hoje o estádio não estava de acordo com a uma etapa de definição da Copa do Brasil. Certamente os dirigentes e nós, treinadores e equipe, não estamos convencendo. Ou o preço das entradas, não tenho ideia. Sempre disse minha predileção por jogar na Vila (Belmiro), mas não creio que seja uma maneira de esconder a análise esportiva da eliminação. Mas daqui pra frente temos de analisar por que o público do Santos não vai ao estádio", destacou.

Para Sampaoli, porém, o seu time merecia pelo menos um empate na partida diante dos atleticanos pelo futebol que apresentou no esvaziado Pacaembu. "O Santos propôs mais o jogo em todo o segundo tempo. Tivemos muitos ataques, muitos chutes, possibilidades que não se concretizaram em gols. Perdemos uma partida injusta pelo desenvolvimento, mas futebol tem dessas coisas", disse o resignado comandante, que agora terá de preparar a sua equipe para voltar a encarar o Atlético-MG, no domingo, e curiosamente na Vila Belmiro, pela próxima rodada do Brasileirão.