O Santos divulgou nesta sexta-feira uma nota onde assegurou que não recebeu nenhuma proposta oficial pelo atacante Geuvânio. O curioso é que na última quinta, o presidente do clube, Modesto Roma Júnior, deu entrevista à rádio Globo dizendo que o Tianjin Quanjin, da China, teria acertado com o jogador.

"O Santos Futebol Clube informa que ficou sabendo por meio dos veículos de comunicação que o atleta Geuvânio teria recebido proposta para atuar no futebol do exterior. Os dirigentes do Alvinegro ressaltam que receberam a informação de assédio ao atacante, que tem contrato com o Santos Futebol Clube até dezembro de 2017. Desta forma, o Clube aguarda propostas oficiais pelo atleta que, caso cheguem, serão analisadas pelo Comitê de Gestão e pelo Conselho Fiscal, este órgão independente do Conselho Deliberativo", disse o comunicado do clube.

Segundo a imprensa chinesa, o time comandado pelo técnico brasileiro Vanderlei Luxemburgo ofereceu 11 milhões de euros (cerca de R$ 48 milhões) pelo jogador, valor que não agradou o Santos, que conta com apenas 35% dos direitos econômicos do jogador. A multa dele é de 50 milhões de euros (cerca de R$ 217 milhões).

"Esse assédio é desgastante. Muito ruim fazerem proposta ao jogador. Se pagarem a multa rescisória, tudo bem, mas não chegou nenhuma proposta nem perto de 30 milhões de euros. Eles têm de resolver os problemas deles e quanto vão pagar ao Santos. Eles precisam chegar aos valores. Já há um acerto do time com o Geuvânio", disse Modesto Roma Júnior, na última quinta-feira.

A preocupação do Santos é que Geuvânio acabe forçando para deixar o clube. Por isso, admite nos bastidores que aceitaria uma proposta na casa dos 20 milhões de euros (R$ 86 milhões).